Imperium (2012) de Christian Kracht e a questão da auto(r)encenação

  • Michael Korfmann Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Instituto de Letras

Resumo

O artigo objetiva abordar o romance Imperium de Christian Kracht (2012) dentro da longa tradição estética de autoencenações de escritores e artistas em geral. No caso de Kracht, isso é feito inicialmente a partir do próprio texto narrativo como encenação literária em todas as suas facetas e, em seguida, a partir de suas desconcertantes aparições mediáticas, em que seus escritos literários, já de per si dúbios, são rearranjados, questionados ou enriquecidos. Geram-se assim incertezas, ambiguidades e desfigurações que são a marca registrada de Kracht no universo literário atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-06-01
Como Citar
Korfmann, M. (2014). Imperium (2012) de Christian Kracht e a questão da auto(r)encenação . Pandaemonium Germanicum, 17(23), 83-99. https://doi.org/10.1590/S1982-88372014000100083
Seção
Literatura/ Cultura - Literatur-/Kulturwissenschaft