Elementos para uma Sociologia das Relações Internacionais: o campo dos diplomatas e o Estado como metacampo

Autores

  • Leandro Garcez Targa Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2017.142994

Palavras-chave:

Sociologia das relações internacionais, Sociologia de Bourdieu, Estado como meta campo, Campo das relações internacionais, Campo dos diplomatas

Resumo

As metodologias de pesquisa que analisam as relações sociais em âmbito local podem ser as mesmas que pensam as relações sociais em âmbito global. Este princípio epistemológico é a base para o entendimento (e para a proposta de superação) das lacunas geradas pela produção de conhecimento das Relações Internacionais, disciplina que reivindica, com sucesso, o monopólio da análise sobre “o internacional” no campo acadêmico. É a partir desta ideia que o presente artigo se propõe a apresentar elementos que contribuam para a construção e consolidação de uma “sociologia das relações internacionais”. Este texto é um fragmento de tese de doutorado recentemente finalizada sobre o campo dos diplomatas brasileiros. Apresentamos aqui a definição bourdieusiana de Estado como metacampo e um esboço da definição de campo das relações internacionais. A partir disso, sugerimos um exercício inicial para pensar o que pode ser uma sociologia das relações internacionais, propondo assim a abertura para futuras pesquisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Garcez Targa, Universidade Federal de São Carlos

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Downloads

Publicado

2017-12-02

Como Citar

Targa, L. G. (2017). Elementos para uma Sociologia das Relações Internacionais: o campo dos diplomatas e o Estado como metacampo. Plural, 24(2), 65-85. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2017.142994

Edição

Seção

Dossiê: "Relações Internacionais: objeto e fronteira das ciências sociais?"