A ilegalidade dos imigrantes como categoria de inclusão social e condição da sua subalternização

Um estudo de caso sobre as migrações de bengalis para Portugal

  • Francisco J. S. A. Luís Fundação para a Ciência e Tecnologia
Palavras-chave: Imigrante, Ilegalidade, Tráfico, Direitos humanos

Resumo

Os intensos fluxos globais têm conduzido a um aumento das populações migrantes nos países Europeus e em Portugal, particularmente. A crescente dificuldade dos cidadãos provenientes de países como Bangladesh, Indía ou Paquistão em se legalizarem e os processos políticos de rejeição do migrante – O Brexit por exemplo – conduziram à procura de alternativas a essas rotas que remontam à época colonial com origem no trabalho forçado de autóctones. Entretanto, séculos depois, o tráfico de pessoas é uma realidade e é neste contexto que Portugal no pós crise 2008 tem vindo a tornar-se um país legislativamente mais amigo dos imigrantes, particularmente através de medidadas tomadas pelo governo socialista eleito em 2015. Muitos desses migrantes que nalguns casos durante décadas não viram os seus familiares, puderam a partir de 2018 cumprir esse desejo e alguns deles estabelecerem-se em Portugal, trazendo as esposas e tendo filhos já com a nacionalidade portuguesa. Procuraremos elucidadar como este processo iniciado em 2015 se foi desenvolvendo e revelando uma condição social dos indivíduos enquanto párias indesejados e sujeitos de um corpo ilegal, por isso passível de exploração. O papel do Estado no ultrapassar dessa condição revela-se essencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco J. S. A. Luís, Fundação para a Ciência e Tecnologia

Gestor de ciência e tecnologia da Fundação para a Ciência e Tecnologia, ocupa a vice-presidência da ONG OPUS Diversidades. Possui Doutorado em Antropologia Social e Cultural, Universidade Nova de Lisboa.

Referências

ABU – LOGHOD, L., Writting Culture. in. Richard G. Fox (ed.) Recapturing Anthropology: Working in the Present (1991), p. 466-479.

AGIER, M., Aux Bords du Monde, Lés Refugies. Paris: Flammarion, 2002.

ANDERSON, R., Illegality Inc. University of Calfornia Press: Oakland, 2014.

ANTHIAS, F. e GABRIELA, L., Gender and Migration in Southern Europe, Women on the Move. Berg: Oxford, 2000.

BEAUVOIR, S., O segundo sexo. II a experiência vivida. Difusão Européia do Livro: São Paulo, 1967.

BILLIG, M., Banal Nationalism. Sage Publications Ltd: London, 1995.

BOCAYUVA, P., “A fronteira como método e como “lugar” de lutas segundo Sandro Mezzadra.” in. Lugar Comum Nº39, p. 45-67.

BOURDIEU, P., Esboço de Uma Teoria da Prática, Precedido de Três Estudos de Etnologia Cabila. Celta Editora: Oeiras, 2002.

CALAVITA, K., Immigrants at the Margins; Law, Race, and Exclusion in Southern Europe. Cambridge University Press: Cambridge, 2005.

CARRERA, S., e GUILD, E., Irregular Migration, Trafficking and Smuggling of Human Beings Policy Dilemmas in the EU. Centre For European Policy Studies (Ceps): Brussels, 2016.

COLEMAN, J., Foundations of Social Theory. Harvard University Press: Cambridge, 1990.

DANCYGIER, R., “Immigration and Conflict in Europe, Review by: Sara Wallace Goodman.” In. The Journal of Politics, Vol. 74, No. 3, Published by The University of Chicago Press on behalf of the Southern Political science association: Chicago, (jully) 2012.

FOULCAULT, M., The History of Sexuality, Volume I, An Introduction. Random house: New York, 1978.

FOULCAULT, M., “A Vida dos Homens Infames.” in. Ditos & Escritos IV: Estratégia, PoderSaber, Forense Universitária: Rio de Janeiro, 2003.

GENOVA, N., Deportation Regime; Sovereignity, Space, and the Freedom of Movement., Duke University Press: Londres, 2010.

HALBWACHS, M., A Memória Coletiva. Vértice: S. Paulo, 1990.

HARVEY, D., The Condition of Post-modernity. Basil Blackwell: Oxford, 1989.

LECHNER, E. (Ed.)., Rostos, vozes e silêncios : uma pesquisa biográfica colaborativa com imigrantes em Portugal. Almedina: Coimbra, 2015. MAPRIL, J., Apresentação em Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 22, n. 46, pp. 473-477, jul./dez. 2016.

LUÍS JSA, F.,Travestis Brasileiras em Portugal; Percursos, Identidades e Ambiguidaedes. tese de Doutoramento, Universidade Nova de Lisboa:Lisboa, 2015.

LUÍS, F. e TROVÃO, S., “De Mana em Mana: Transnacionalismos.” In. Susana Trovão (org.), De Muitas e Variadas Partes ao Portugal do Século XXI. Dinâmicas de género, intergeracionais e familiares em contexto migratórios. Colibri: Lisboa, 2010.

MACHADO, I., A Invenção do Brasil Exótico entre Imigrantes Brasileiros no Porto, Portugal. Apresentação no GT Migrações Internacionais, XXIII Anpocs, Caxambu, Brasil 19 a 23 de Outubro, 1999.

MACHADO, I., Cárcere Público – Processos de Exotização entre Imigrantes Brasileiros no Porto em Portugal. Tese de Doutoramento em Antropologia, Universidade Estadual de Campinas: Campinas, 2003.

MAPRIL, J.,, “Bangla masdjid»: Islão e bengalidade entre os bangladeshianos em Lisboa.” in. Análise Social, vol. XXXIX (173), 2005, p.851-873

MAPRIL, J., “Banglapara: imigração, negócios e (in)formalidades em Lisboa.” in. Etnográfica, Junho 2010, nº14 (2), p. 243-263.

MAPRIL, J., e BLANES, R., Sites and Politics of Religious Diversity in Southern Europe The Best of All Gods. Brill: Laiden e Boston, 2013.

MEZZADRA, S., Direito de Fuga. Edições Unipop: Lisboa, 2012

MEZZADRA, S., e NEILSON, B., Border as Method, or, the Multiplication of Labor. Duke University Press, 2013.

MEZZADRA, S., in. REMHU - Rev. Interdiscip. Mobil. Hum. Brasília, Ano XXIII, n. 44, p. 11-30, jan./jun. 2015

SAYAD, A., Le Double Absence. Des ilusions de l´émigré aux souffrances de l´immigré. Éditions du Seuil: Paris, 1990.

SAYAD, A., L´immigration ou les paradoxes de l´altérité. Raisons d`agir Editions: Paris, 2014.

SEABROOK, J. e SIDDIQUI, I., India´s Muslim Guettos. People without history. Pluto Press: London and New York, 2011.

SHELLEY, L., Human Trafficking. Cambridge University Press: New York, 2010.

VERTOVEC, S., Transnationalism. Routledge: London e New York, 2009.

WESTIN, B., DAHINDEN e G., Processes and Dynamics in Multi Ethnic Europe. Amsterdam University Press: Amsterdam, 2010.

WOLF, E., Europe and The People Without history. University of California Press: London, 1985.

Publicado
2020-06-26
Como Citar
Luís, F. (2020). A ilegalidade dos imigrantes como categoria de inclusão social e condição da sua subalternização. Plural, 27(1), 145-167. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2020.162815
Seção
Dossiê: "Ciências sociais e questões migratórias na contemporaneidade"