Mecanismos de solidariedade étnica/nacional e imigração

Chineses e sul coreanos em Aracaju, Brazil

  • Allisson Goes Universidade Federal de Sergipe
  • Marcelo Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Marcelo Ennes Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: Imigração, Chineses, Sul-coreanos, Mecanismos de solidariedade étnica/nacional, Aracaju

Resumo

O presente artigo tem como objeto principal os mecanismos de solidariedade étnica/nacional acionados em contextos imigratórios. Os estudos sobre chineses e sul-coreanos que deram origem ao artigo foram realizados entre os anos de 2011 e 2018 na cidade de Aracaju, capital do Estado de Sergipe. Para o desenvolvimento destes estudos, foram realizadas revisão bibliográfica, observação direta e entrevistas em profundidade. Os dois grupos de imigrantes se estabeleceram no comércio local por meio de atividades ligadas à venda de produtos importados e lanchonetes. A presença destes dois grupos em Aracaju se deu por meio de fluxos migratórios indiretos, de modo que antes de se estabelecerem na capital sergipana, passaram por outras cidades, em especial São Paulo. Esta trajetória revela uma dupla mobilidade, a geográfica e a social, já que a vinda para Aracaju está associada às oportunidades de passarem da condição de empregados para proprietários de estabelecimentos comerciais. O duplo processo de mobilidade é sustentado por mecanismos de solidariedade étnica/nacional acionados a partir das relações de parentesco e amizade, com base no uso do idioma e tradições culturais, tais como poupança e capitalização financeira. Este processo se desdobra, novamente, em outra dupla dinâmica, que diferencia chineses e sul-coreanos de brasileiros, de modo a produzir práticas sociais e culturais e sentimentos de pertencimentos e, ao mesmo tempo, hierarquias internas no grupo, através de papeis familiares e de classe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allisson Goes, Universidade Federal de Sergipe

Mestre e doutorando pela Universidade Federal de Sergipe.

Marcelo Souza, Universidade Federal de Sergipe

Mestre pela Universidade Federal de Sergipe.

Referências

BARRETO, Luiz Antonio. Estrangeiros em Aracaju. Infonet. 12 de maio de 2005. Disponível em < https://infonet.com.br/blogs/estrangeiros-em-aracaju-v/>. Acesso em 19 de setembro de 2019.

BASTIDE, Roger. Os estrangeiros no Brasil, ou “a mesa da comunhão Pascal”. In: BASTIDE, Roger. Brasil, terra de contrastes. São Paulo: Ed. Difusão Européia do livro, 1973. p. 184-208.

CARDOSO, Ruth Corrêa Leite. Estrutura familiar e mobilidade social: estudo dos japoneses no Estado de São Paulo, São Paulo FFLCH / USP, 1972.

CARVALHO, Jorge. Notas para o estudo da imigração alemã em Sergipe. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Aracaju, n. 35, 2006.

CHI, Yun Jung. O bom retiro dos coreanos: descrição de um enclave étnico. Dissertação (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo). Universidade de São Paulo: São Paulo, 2016. 124 p.

DURHAM, Eunice Ribeiro. Assimilação e Mobilidade. Instituto de Estudo Brasileiros, 1966.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Lisboa: Edições 70, 2005.

ENNES, Marcelo Alario. A construção de uma identidade inacabada: nipo-brasileiros no interior do Estado de São Paulo. São Paulo: UNESP, 2001. 168 p.

ENNES, Marcelo Alario. A imigração Estrangeira para o Brasil. História (São Paulo), v. 30, p. 312-334, 2011.

FREITAS, José Edgar (trad.). Cartas de Maruim. Núcleo de Cultura Alemã em Sergipe, 1991.

GOMES, Laura Graziela. ‘Comércio étnico’ em Belleville: memória, hospitalidade e convivência. Estudos históricos, n. 29, 2002.

GUIJARRO, Ester Massó. Superando el nacionalismo metodológico: Comunidades cosmopolitas de interacción em el barrio de Lavapiés. Migraciones internacionales. v.7, n. 2. Jul-dic. p. 71-100, 2013.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais Belo Horizonte: Humanitas, 2009.

HALTER, Marylin. cultura econômica do empreendimento étnico: caminhos da imigração ao empreendedorismo. RAE, n. 1, v. 47, 2007.

LESSER, Jeffrey. A negociação da identidade nacional. São Paulo: Unesp, 2001.

MASSEY, Douglas et al. Worlds in motion: Understanding international migration at the end of the millennium. Oxford/New York: Oxford University Press, 2005.

MONSMA, Karl; TRUZZI, Oswaldo, CONCEIÇÃO, Silvano. Solidariedade étnica, poder local e banditismo: uma quadrilha calabresa no Oeste Paulista, RBCS, v. 18, n. 53, p. 1895-1898, 2003.

PAIVA, Odair da Cruz. Histórias da (I) migração: imigrantes e migrantes em São Paulo entre o final do século XIX e o início do século XXI. São Paulo: Arquivo Público do Estado, 2013.

PORTES, Alejandro. Convergências teóricas e dados empíricos no estudo do transnacionalismo imigrante. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 69, p. 73-93, out. 2004.

POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da etnicidade. Seguido de grupos etnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. São Paulo: UNESP, 2011.

PÓVOA-NETO, Helion. Migrações internas e mobilidade do trabalho no Brasil atual: novos desafios para a análise. Revista e Experimental, v. 2, p. 11-24, mar. 1997.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração ou os paradoxos da Alteridade. São Paulo: Ed. Edusp, 1998.

SCHILLER, Nina; BASCH, Linda; BLANC, Cristina (1995). From Immigrant to Transmigrant: Theorizing Transnational Migration. Anthropological Quarterly, n. 68, v. 1, p.48-63.

SEYEFERTH, Giralda. A colonização alemã no Brasil: etnicidade e conflito. In: FAUSTO, Boris (org.). Fazer a América. São Paulo: Edusp, 1999b. p. 272 – 311.

SEYEFERTH, Giralda. As identidades dos imigrantes e o melting pot nacional. Horizonte Antropológico. v. 6, n. 14, p. 143-176, 2000.

SEYEFERTH, Giralda. Etnicidade, política e ascensão social: um exemplo teuto-brasileiro. Mana, vol. 5, n. 2, p. 61-88, 1999a.

SILVA, Marcos de Araújo. Guanxi nos trópicos: um estudo sobre a diáspora chinesa em Pernambuco. 2008. 189f. Dissertação (Mestrado em Antropologia): Departamento de Antropologia: Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SOUSA, Carla. Chineses tomam comércio de Aracaju. Jornal da Cidade, Aracaju, 2010. Disponível em: <http://www.jornaldacidade.net/2008/noticia.php?id=74545>. Acesso em: 6 de março de 2012.

TRUZZI, Oswaldo. De mascates a doutores: sírio-libaneses em São Paulo. 1. ed. São Paulo: Sumaré, 1991.

TRUZZI, Oswaldo. Patrícios na política. In:_____. Patrícios: Sírios e libaneses em São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1997. p. 149-184.

TRUZZI, Oswaldo. Redes em processos migratórios. In: LANNA, Ana Lúcia et al (Org.). São Paulo, os estrangeiros e a construção das cidades, Alameda, São Paulo, 2011.

TRUZZI, Oswaldo. Redes em processos migratórios. Tempo Social. São Paulo, n. 01, p. 199-218, 2008.

VAZ, Lafaete. Feira de Caruaru resiste a mudanças, ‘invasão chinesa’ e crise econômica. G1. 18 de maio de 2016. Disponível em: < http://g1.globo.com/pe/caruaru-regiao/noticia/2016/05/feira-de-caruaru-resiste-mudancas-invasao-chinesa-e-crise-economica.html>. Acesso em 19 de setembro de 2019.

WILLEMS, Emilio. Assimilação de populações marginais do Brasil. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1940.

WILLEMS, Emilio. Assimilação dos judeus. Sociologia, São Paulo, v. III, n. 1/2, p. 54-77, 1945.

Publicado
2020-06-27
Como Citar
Goes, A., Souza, M., & Ennes, M. (2020). Mecanismos de solidariedade étnica/nacional e imigração. Plural, 27(1), 90-113. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2020.171530
Seção
Dossiê: "Ciências sociais e questões migratórias na contemporaneidade"