Radar e Espelho das Elites

caminhos para o colunismo social

Autores

  • Karina Garcia Santos Cruz Universidade Federal de Sergipe
  • Fernanda Rios Petrarca Universidade Federal de Sergipe
  • Ernesto Seidl Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2020.172230

Palavras-chave:

Colunismo social, Elites, Grupos dominantes, Consagração social

Resumo

O artigo explora as relações entre colunismo social e legitimação de grupos dominantes. Com base no estudo dos trajetos sociais de um conjunto de colunistas em Sergipe, a pesquisa procurou demonstrar como a elaboração de suas carreiras depende de uma dinâmica que envolve, ao mesmo tempo, o entretenimento de relações intensas com os grupos dominantes e a necessidade de identificação e de inserção naquele universo. Para se credenciarem como profissionais eficientes no trabalho de celebração das elites é necessário que reúnam certos recursos e habilidades para afirmar e consolidar sua posição. A conquista de uma reputação, de reconhecimento e legitimidade pelos colunistas depende diretamente desses recursos e pode levar maior ou menor tempo e, inclusive, nunca se consolidar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Seidl, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Ciência Política. Professor Associado II do Depto. de Sociologia e Ciência Política e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC. Editor da Revista Política & Sociedade. Bolsista de Produtividade 2 do CNPq.

Referências

ABREU, Alzira Alves de. A modernização da imprensa (1970-2000). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.
BANCO DO NORDESTE. Informações Socioeconômicas municipais. Aracaju. 2019. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/documents/80223/3022587/Aracaju-SE-2019.pdf/f51335dc-569c-0c20-1d9b-69de888c54a2
BERGAMO, Alexandre. A Escrita do Presente: mudanças no status cultural do jornalismo. In: MICELI, Sergio; PONTES, Heloisa. (Org.). Cultura e Sociedade: Brasil e Argentina. São Paulo: Edusp, 2014. p. 211-239.
BERGAMO, Alexandre. Reportagem, memória e história no jornalismo brasileiro. Mana, v. 17, p. 233-269, 2011.
BORN, Ani M. Hartz. As representações das elites na mídia de colunismo social de Porto Alegre - um estudo de caso sobre o Programa Sociedade com Odalgir Lazzari. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2011.
BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS, Zouk, 2008.
BOURDIEU, Pierre. O senso prático. Petrópolis: Vozes, 2009.
COUTINHO, Iluska. Colunas jornalísticas de notas: representação na imprensa. In: MOTTA, Luiz Gonzaga (org.). Imprensa e poder. Brasília: Editora da Universidade de Brasília; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002
CHARTIER, Roger. História Cultural: entre práticas e representações, 2ª. edição, Lisboa, DIFEL, 1990.
DANTAS, Ibarê. História de Sergipe república, 1889-2000. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 2004.
DANTAS, Ibarê. Leandro Ribeiro de Siqueira Maciel: o patriarca do Serra Negra e a política oitocentista em Sergipe, 1825-1909. Aracaju, Criação, 2009.
GRILL, I. G.; REIS, E. T. dos (Org.). Estudos sobre elites políticas e culturais. Volume 3. São Luís: EDUFMA, 2020.
HIRAOKA, Ricky. A festa sem fim dos colunistas sociais. Link disponível em: https://vejasp.abril.com.br/cidades/a-festa-sem-fim-dos-colunistas-sociais. Consulta em 14 de junho de 2020.
IBGE. Diretoria de Pesquisas - DPE - Coordenação de População e Indicadores Sociais – COPIS. Link disponível em: https//ibge.gov.br. Consulta em 25 de junho de 2020.
IBGE. Link disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/.
LEANDRO, Hélio Wilson Santos. "De varejo eles entendem": grupos familiares e atuação no espaço de supermercados. Dissertação de Mestrado em Sociologia, Universidade Federal de Sergipe, 2014.
LIMA, Diana N. “Ethos ‘emergente’: as pessoas, as palavras e as coisas”. Horizontes Antropológicos, ano 13, n. 28, p. 175-202, jul./dez. 2007
LIMA, Diana N. O. “Ethos ‘emergente’: notas etnográficas sobre o ‘sucesso’”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 22, n. 65 São Paulo, 2007.
LIMA, Diana N. O. “Nova sociedade emergente: consumidores de produtos ou produção discursiva?” Cadernos de Campo, n. 12, p. 11-24, 2004.
LOBO, Rodrigo Gomes. 2010. Processos de socialização em jornalismo: adestrando “focas” e treinando trainees. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, FFLCH — USP
MARIA, Maurício de F. A. Crônicas da alta sociedade: discursos, representações e cotidiano nas colunas sociais do jornal Folha do Oeste (Guarapuava, PR, 1959-1964). Dissertação (Mestrado em História). Faculdade de Ciências e Letras de Assis – UNESP, 2011.
MARIA, Maurício de F. A. “Das gossip columns às novas colunas sociais brasileiras: política e modernização da imprensa brasileira nas décadas de 1950 e 1960”. Histórica (São Paulo), v. nº. 33, p. 1- nº. 3-13, 2008.
MARIA, Maurício de F. A. & TEMBIL, M. História Cultural e Elites Locais. In: SOCHODOLAK, H. & CAMPIGOTO, J. Estudos em História Cultura na Região Sul do Paraná. Editora Unicentro, 2008, pp. 27-56.
MICK, Jacques; LIMA, Samuel. Perfil do jornalista brasileiro Características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012. Florianópolis: Insular, 2013.
MILLS, Charles Wright. A elite do poder. 4ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.
MORAES, Geneton. Jacinto de Thormes: o dia em que o criador do moderno colunismo social enganou a rainha da inglaterra no maracanã! Geneton.com.br. http://www.geneton.com.br/archives/000030.html. Consultado em 25 de junho de 2020.
NEVEU, Erik. Sociologie du journalisme. Paris, La Découverte, 2001.
PENEFF, Jean. "Les grandes tendances de l’usage des biographies dans la sociologie française". Politix, n.27, p.25-31, Paris, 1994.
PETRARCA, Fernanda Rios. Elites jornalísticas, recursos políticos e atuação profissional no Rio Grande do Sul. TOMO, n.13, 2008.
PETRARCA, Fernanda Rios. Composição social, critérios de seleção e lógicas de recrutamento da elite médica em Sergipe. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 35, p. 1-21, 2020.
PETRARCA, Fernanda Rios; OLIVEIRA, Wilson F. J. Os estudos de elite no Brasil: um ensaio crítico sobre a produção recente. In: GRILL, Igor Gastal; REIS, Eliana Tavares. (Org.). Estudos sobre elites políticas culturais: reflexões e aplicações não canônicas. São Luís: EDUFMA, 2016, v. 2, p. 141-165.
PUDAL, Bernard. "Du biographique entre 'sciences' et 'fiction'. Quelques remarques programmatiques". Politix, n.27, p.5-24, Paris, 1994.
PINÇON, Michel; PINÇON-CHARLOT, Monique. La violence des riches: chronique d’une immense casse sociale. Paris: La Découverte, 2013.
PROST, Antoine Social e cultural indissociavelmente. IN: RIOUX, J. P. & SIRINELLI, J. F. Para uma História Cultural. Lisboa, Estampa, 1998.
REIS, Eliana T. dos (Org.) ; GRILL, I. G. (Org.) Estudos sobre elites políticas e culturais. Volume 1. São Luís: EDUFMA, 2014.
REIS, Eliana T. dos; GRILL, I. G. (Org.). Estudos sobre elites políticas e culturais. Reflexões e aplicações não canônicas. Volume 2. São Luís: EDUFMA, 2016.
SEIDL, Ernesto. Estudar os poderosos: a sociologia do poder e das elites. In: SEIDL, Ernesto; GRILL, Igor G. (Org.). As Ciências Sociais e os espaços da política no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2013, v. 1, p. 179-226.
SILVA, Joana B. L. Colunistas e Colunáveis: Trocas, Interesses e Capitais – ou, das Razões de Viver na Corte. CSOnline – Revista Eletrônica de Ciências Sociais, Juiz de Fora, n. 23 (2017), pp. 89-99.
TRAVANCAS, Isabel Siqueira. A coluna de Ibrahim Sued: um gênero jornalístico. InterCom: revista brasileira de ciências da comunicação, São Paulo, v. XXIV, p. 109-122, 2001.
TRAVANCAS, Isabel Siqueira. O mundo dos jornalistas. São Paulo: Summus, 1993.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Cruz, K. G. S., Rios Petrarca, F., & Seidl, E. (2020). Radar e Espelho das Elites: caminhos para o colunismo social. Plural, 27(2), 140-165. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2020.172230

Edição

Seção

Dossiê: "Sociologia do Jornalismo. Por uma agenda de pesquisa"