Conflitos entre democracia parlamentar e religião reacionária na Câmara Municipal de Fortaleza

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.173125

Palavras-chave:

Discurso político, Pacto político-religioso, Representação

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar as dinâmicas da representação política moldada por elementos de pertença religiosa. Para tanto, toma-se como corpus de análise as enunciações (discursos, postagens e imagens compartilhadas em redes sociais) encenadas por dois vereadores da cidade de Fortaleza durante a tramitação de um projeto de lei que versava sobre a liberdade de cátedra, entre outubro e novembro de 2019. Partindo de metodologias qualitativas combinadas às noções de campo e discurso políticos, com a análise de imagens compartilhadas em redes sociais, escolhidas como paradigmáticas pela carga semântica da ideia de “guerra ao inimigo”, pretendemos compreender como se engendrou, e se reforçou, o que consideramos como um pacto “político-religioso” entre os dois vereadores e o conjunto de seus seguidores, transformando-os, no exercício do mandato parlamentar, de políticos em “representantes da fé”; seus eleitores em “adeptos da fé”; e seus opositores em “inimigos da fé”. Assim, a leitura do texto possibilitará compreender uma das facetas mais importantes do conservadorismo político brasileiro contemporâneo: a legitimação do campo religioso cristão e a legitimação política a partir desse campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanuel Freitas da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Sociologia. Professor do Curso de Ciências Sociais e dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e em Planejamento e Políticas Públicas (UECE). Pesquisador do LEPEM-UFC (Laboratório de pesquisas em processos eleitorais e mídia), onde desenvolve pesquisa sobre política e religião. E-mail: emanuel.freitas@uece.br.

Emerson José Sena da Silveira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutor em Ciência da Religião, antropólogo, Professor do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, Brasil. E-mail: emerson.pesquisa@gmail.com.

 

 

Referências

AMOSSY, Ruth. A argumentação no discurso. São Paulo: Contexto, 2018.

AMOSSY, Ruth. Apologia da polêmica. São Paulo: Contexto, 2017.

BERGER, Peter; ZIJDERVELD, Anton. Em favor da dúvida: como ter convicções sem se tornar um fanático. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

BORGES, Rafaela Oliveira; BORGES, Zulmira. Pânico moral e ideologia de gênero articulados na supressão de diretrizes sobre questões de gênero e sexualidade nas escolas. Rev. Bras. Educ. vol.23, Rio de Janeiro, 2018.

BOURDIEU, Pierre. O campo político. Rev. Bras. Ciênc. Polít, no.5, Brasília Jan./Jul 2011.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 16.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BURITY, Joanildo. A cena da Religião Pública: contingência dispersão e dinâmica relacional. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n.102, São Paulo, p. 89-105, jul-2015. Disponível em <https://www.academia.edu/22433913/A_CENA_DA_RELIGI%C3%83O_P%C3%9ABLICA>. Acesso em: 01 abr.2018.

CAMPOS, Leonildo Silveira. O projeto político de “governo do justo”: os recuos e avanços dos evangélicos nas eleições de 2006 e 2010 para a Câmara Federal. Debates do NER, ano II, n.18, pp. 39-82, jul/dez., Porto Alegre, 2010.

CHARAUDEAU, Patrick. A conquista da opinião pública - como o discurso manipula as escolhas políticas. São Paulo: Contexto, 2016.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso Político. São Paulo: Contexto, 2008b.

CHARAUDEAU, Patrick. Linguagem e discurso: modos de organização. São Paulo: Contexto, 2008a.

CUNHA, Magali. “‘É preciso salvar a família’: gênero, religião e política no contexto do neoconservadorismo evangélico nas mídias no Brasil”. In: CUNHA, Magali; LOPES, Paulo Victor Leite; LUI, Janayna (orgs.) Religião e política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições 2014. Rio de Janeiro: Instituto de Estudos da Religião, 2017.

DIP, Andrea. Em nome de quem? A bancada evangélica e seu projeto de poder. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

FREITAS, Marcelo Silva de. (Des) contentamento com a política e representação: o exercício parlamentar dos vereadores religiosos na câmara de fortaleza. 2020. Orientador: Emanuel Freitas da Silva. 184f. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas. Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2020.

MACHADO, Maria das Dores. Aborto e ativismo religioso nas eleições de 2010. Revista Brasileira de Ciência Política, n.7, p.25-37, jan.-abr. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcpol/n7/a03n7.pdf>. Acesso em: 24 fev.2018.

MACHADO, Maria das Dores. Pesquisa com líderes religiosos: questões éticas e metodológicas. Estudos Sociológicos, Araraquara, v.18, n.34, p.39-56, jan-jun. 2013. Disponível em: < https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/5972/4525>. Acesso em: 27 fev.2018.

MACHADO, Maria das Dores. Política e religião. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

MACHADO, Maria das Dores. Religião e política no Brasil contemporâneo: uma análise dos pentecostais e carismáticos católicos. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, vol.35, p.45-72, dez-2015. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rs/v35n2/0100-8587-rs-35-2-00045.pdf >. Acesso em: 30 mar.2018.

MACHADO, Maria das Dores. Religião, cultura e política. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, n.32, vol. 2, p. 29-56, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rs/v32n2/03.pdf>. Acesso em: 12 fev.2018.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais – sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. 5.ed. Rio de Janeiro: Edições Loyola, 2014.

MARIZ, Cecilia. “Catolicismo no Brasil contemporâneo: reavivamento e diversidade”. In: TEIXEIRA, FAUSTINO. As religiões no Brasil. Petropólis, RJ: Vozes, 2006.

MIRANDA, Julia. Carisma, sociedade e política: novas linguagens o religioso no político. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

MIRANDA, Julia. Católicos carismáticos e as eleições municipais de 2012. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, n. 51, vol. 2, p. 201-211, mai-ago 2015. Disponível em:<http://revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/viewFile/csu.2015.51.2.10/4794>. Acesso em: 23 fev.2018.

SILVA, Emanuel Freitas da. “Em nome da natureza”: discursos e mobilizações católicas no Brasil em torno do gênero na escola. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, v. 15, n. 2, p. 505-525, 20 jan. 2019.

SILVA, Emanuel Freitas da. Cenas públicas de enfrentamento político-religioso: apontamentos de tensões entre parlamentares evangélicos e o governo de Dilma Rousseff. Faces de Clio, v.5, n.9, pp. 146-161, 2019.

SILVEIRA, Emerson José Sena da. Corpo, emoção e rito: antropologia dos carismáticos católicos. Porto Alegre: Armazém Digital: 2008. Disponível em: https://www.academia.edu/43280633/Corpo_emo%C3%A7%C3%A3o_e_rito_antropologia_dos_carism%C3%A1ticos_cat%C3%B3licos_livro_completo_ Acesso em: 16 jun 2020.

SILVEIRA, Emerson José Sena da. Terços, “santinhos” e versículos: A relação entre católicos carismáticos e a política. Rever – Revista de Estudos da Religião, São Paulo, PUC-SP, ano 8, p. 54-74, mar. 2008. Disponível em: https://www.pucsp.br/rever/rv1_2008/t_silveira.pdf Acesso em: 16 jun 2020.

TADVALD, Marcelo. Eleitos de deus e pelo povo: os evangélicos e as eleições federais de 2010. Debates do NER, ano II, n.18, pp. 83-109, jul/dez., Porto Alegre, 2010.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Silva, E. F. da, & Silveira, E. J. S. da . (2021). Conflitos entre democracia parlamentar e religião reacionária na Câmara Municipal de Fortaleza. Plural, 28(1), 109-135. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.173125

Edição

Seção

Dossiê: "Religião, cultura e política entre o progressismo e o conservadorismo"