O discurso eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus e a ascensão de Bolsonaro

Autores

  • Fabrício Roberto Costa Oliveira Universidade Federal de Viçosa https://orcid.org/0000-0002-5522-6192
  • Cáio César Nogueira Martins Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176735

Palavras-chave:

Eleições 2018, Folha Universal, Igreja Universal do Reino de Deus, Jair Bolsonaro

Resumo

Este artigo apresenta uma análise da atuação política eleitoral realizada pelo jornal “Folha Universal”, pertencente à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), durante o Primeiro e o Segundo Turno das Eleições de 2018. Nosso foco de análise foram os editoriais e as reportagens de cunho político/eleitoral estampadas no semanário iurdiano. A pesquisa revela que o apoio a Jair Bolsonaro apenas se tornou contundente no final do Primeiro Turno, quando as pesquisas indicavam que ele tinha grandes possibilidades de ser eleito. Esse apoio não se dava com exposição do nome do candidato ou pedidos de votos explícitos, mas pelas pautas e elementos simbólicos das matérias publicadas, em que se repetiam jargões da campanha de Bolsonaro como a necessidade de acabar com a “velha política”, defender “valores da família tradicional” e a necessidade de se afastar do “comunismo”. Tais concepções, no contexto eleitoral, demonstravam afinidades com a candidatura de Jair Bolsonaro. A presença quase exclusiva do candidato na Rede Record de televisão, emissora vinculada a Igreja Universal, ratificava a condição de apoiado pela instituição religiosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Roberto Costa Oliveira, Universidade Federal de Viçosa

Doutor em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Mestre em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Graduado em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Religião e Sociologia dos Movimentos Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: religião e política, história das religiões, história oral e movimentos sociais. ORCID: E-mail: fabriciooliveira@ufv.br.

Cáio César Nogueira Martins, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestrando do Programa de Pós Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Especialista em Direito Eleitoral pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/Minas). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Graduado em Ciência Política pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER). Graduado em Direito pela Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC). Tem experiência nas áreas do Direito, Ciência Política e Sociologia, dedicando-se a estudos sobre temas relacionados à participação da Mulher na Política e a relação entre Política e Religião. E-mail: caio_martins.007@hotmail.com.

Referências

ALMEIDA, Ronaldo de. Bolsonaro Presidente: conservadorismo, evangelismo e a crise brasileira. Novos Estudos – CEPRAP, v. 38, n. 01, p. 185-213, abr. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0101-33002019000100010&lng =em&nrm=iso&tlng=pt. Acessado em: 20 abr. 2020.

BOURDIEU, Pierre. Sobre o Estado: cursos no Collège de France. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BOURDIEU, Pierre. O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 5, p. 193-216, jul. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-33522011000100008. Acessado em: 22 abr. 2020

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomaz – 11ª edição. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. Organização de Sérgio Miceli. 6 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2005.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Divulgação de candidatos a Presidência da República em 2018. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/votacao-e-resultados/resultados-eleicoes-2018. Acessado em: 06 mai. 2020.

CARVALHO JR., Roberto Camilo de. O Abuso de Poder Religioso no processo eleitoral brasileiro. Biblioteca do Tribunal Superior Eleitoral. Brasília: 2019. Disponível em: http://bibliotecadigital.tse.jus.br/xmlui/bitstream/handle/bdtse/5774/2019_carvalhojunior_abuso_poder_religioso.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acessado em: 16 jun. 2020.

CONRADO, Flávio César. Política e Mídia: a Igreja Universal do Reino de Deus nas eleições. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 21, n. 02, p. 85-111, 2001. Disponível em: https://www.academia.edu/33084312/Pol%C3%ADtica_e_M%C3%ADdia_A_Igreja_Universal_do_Reino_de_Deus_nas_Elei%C3%A7%C3%B5es. Acessado em: 20 mar. 2020.

CRUZ, Marcelo Pereira. A Igreja Universal do Reino de Deus no “Jogo do Poder”: a aliança com o Partido dos Trabalhadores nas eleições presidenciais de 2002. Dissertação de Mestrado, São Paulo, PUC-SP, 2009. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/2113. Acessado em: 28 jun. 2020.

FRAZÃO, Felipe. Edir Macedo declara apoio a Jair Bolsonaro. Estadão, 30 de setembro de 2018. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,edir-macedo-declara-apoio-a-bolsonaro,70002526353. Acessado em: 06 mai. 2020.

FRESTON, Paul. Protestantes e política no Brasil: da Constituinte ao impeachment. Tese de Doutorado, Campinas, IFCH-Unicamp, 1993. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279821. Acessado em: 28 abr. 2020.

GUTIERREZ, Carlos. “A Igreja Universal e o Partido Republicano Brasileiro: conflitos em torno do secularismo”. In: ARAÚJO, Melvina.; CUNHA, Chistina Vital da (Org). Religião e Conflito. Curitiba: Editora Prismas, 2016, p. 63-75.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Resultado dos Dados do Censo 2000 e 2010. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/137. Acessado em 14 mai. 2020.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

MARIANO, Ricardo; GERARDI, Dirceu André. “Apoio evangélico a Bolsonaro: antipetismo e sacralização da direita”. In: GUADALUPE, José Luis Pérez; CARRANZA, Brenda. Novo ativismo político no Brasil: os evangélicos do século XXI. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung, 2020, p. 329-350.

MARTINS, Cáio César Nogueira. Religião e Política na Igreja Universal: um estudo acerca da mobilização de conteúdo político/eleitorais pelo Jornal Folha Universal no ano de 2018. Trabalho de conclusão do curso de Ciências Sociais – UEMG. Barbacena, 2020.

MOUFFE, Chantal. Sobre o Político. 1. ed. Tradução de Fernando Santos. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

NASCIMENTO, Cláudia Cerqueira do. Igreja como Partido: capacidade de coordenação eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus. Tese de Doutorado, São Paulo, FGV, 2017. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/20151. Acessado em: 25 jun. 2020.

NASCIMENTO, Gilberto. O Reino: a história de Edir Macedo e uma radiografia da Igreja Universal. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ORO, Ari Pedro. A Política da Igreja Universal e seus reflexos nos campos religioso e político brasileiros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Rio de janeiro v. 18, n. 53, p. 52-79, out. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v18n53/18078.pdf. Acessado em: 04 mai. 2020.

PALMEIRA, Moacir. “Eleição Municipal, política e cidadania”. In: PALMEIRA, Moacir; BARREIRA, César (orgs.). Política no Brasil: visões de antropólogos. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Núcleo de Antropologia da Política /UFRJ, 2006, p. p. 137-150.

PALMEIRA, Moacir. “Política, Facções e Voto”. In: PALMEIRA, Moacir; GOLDMAN, Marcio. Antropologia, voto e representação política. Rio de Janeiro. Contra Capa Livraria. 1996, p. p. 41.57.

PALMEIRA, Moacir. Voto: racionalidade ou significado. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Brasília, n. 20, ano 7, out. 1992. Disponível em: http://www.anpocs.com/images/stories/RBCS/20/rbcs20_04.pdf. Acessado em 16 jul. 2020.

PRANDI, Reginaldo; SANTOS, Renan Willian dos; BONATO, Massimo. Igrejas Evangélicas como máquinas eleitorais no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 120, p.43-60, janeiro/fevereiro/março 2019. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/155530. Acessado em 16 out. 2020.

RECUERO, Raquel GRUZD, Anatoly. Cascata de Fake News Políticas: um estudo de caso no Twitter. Revista Galaxia, São Paulo, n. 41, p. 31-47, mai-ago. 2019. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/1982-25542019239035. Acessado em: 11 jun. 2020.

REIS, Toni; EGGERT, Edla. Ideologia de Gênero: uma falácia construída sobre os planos de educação brasileiros. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 138, p. 9-26, jan-mar. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v38n138/1678-4626-es-38-138-00009.pdf. Acessado em: 29 jun. 2020.

ROCHA, Maria da Penha Nunes. As estratégias de comunicação da Igreja Universal do Reino de Deus. Tese de Doutorado, Rio de Janeiro, UFRJ, 2006. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp021807.pdf. Acessado em: 29 mai. 2020.

RODRIGUES, Elisa. Pentecostalismo, Política e Conservadorismo. Curso de extensão oferecido pela UFJF em junho de 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=B2ToAEa08eU&t=295s. Acessado em: 11 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Oliveira, F. R. C. ., & Martins, C. C. N. . (2021). O discurso eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus e a ascensão de Bolsonaro. Plural, 28(1), 237-258. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176735

Edição

Seção

Dossiê: "Religião, cultura e política entre o progressismo e o conservadorismo"