Conservadores x progressistas no espiritismo brasileiro: tentativa de interpretação histórico-hermenêutica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176786

Palavras-chave:

Espiritismo, Brasil, Progressismo, Conservadorismo, Kardec

Resumo

Uma divisão vem se processando no Espiritismo no Brasil, repartindo em termos da moral (sexual e reprodutiva) e de visão social suas lideranças e membros em posturas diametralmente opostas, classificadas como conservadoras e progressistas. Diante desta realidade, este texto pretende discutir as implicações destas concepções e atitudes dos espíritas, ditas dogmáticas ou heterodoxas, nos termos de sua doutrina, dentro do seu próprio meio e para a sociedade brasileira. Procurarei interpretar esta clivagem, através do exame localizado de uma controvérsia, que colocou de um lado, Divaldo Pereira Franco, um dos principais médiuns espíritas brasileiros, quando se pronunciou contra a chamada “ideologia de gênero” e o “marxismo”, reproduzindo um discurso moralista-conservador, e do outro, os chamados espíritas progressistas, que reagiram a estas declarações, fundamentando suas posições numa visão do Espiritismo afinado com as correntes inovadoras da sociedade brasileira. Como recurso para análise destas posições antagônicas em jogo faço um breve percurso na história do Espiritismo no Brasil no sentido de mapear a gênese e desenvolvimento de posturas ditas conservadoras e progressistas no seu seio. E a partir de uma perspectiva das Ciências Sociais procuro examinar como leituras da cosmologia e da doutrina espírita, que classifico de “providencialistas” ou “hermenêuticas”, terminam por fundamentar estas posições conservadoras e progressistas no Espiritismo brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Camurça, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professor Titular aposentado do Departamento de Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Atualmente professor colaborador deste departamento e professor visitante no Programa de Pós-Graduação em História Social da UERJ. Pesquisador e Bolsista de produtividade CNPq. E-mail: mcamurca@terra.com.br

Referências

ABAIXO ASSINADO. Espíritas progressistas respondem à entrevista coletiva de Divaldo Franco e Haroldo Dutra no congresso de Goiás. 2018. Disponível em: Fórum Espírita. http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/polemica-com-a-entrevista-e-a-resposta-de-divaldo-franco/. Acesso em 27 de julho de 2018.

AGOSTINHO, Santo. A cidade de Deus. Petrópolis: Vozes, 2013.

ARRIBAS, Célia da Graça. No Princípio era o Verbo: espíritas e espiritismos na modernidade religiosa brasileira. Tese de Doutorado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ARRIBAS, Célia da Graça. Espiritismo, gênero e política: uma equação tensa. Revista Escuta, 2018. Disponível em: https://revistaescuta.wordpress.com/2018/03/01/espiritismo-genero-e-politica-uma-equacao-tensa/. Acesso em 07 de setembro 2020

ARRIBAS, Célia da Graça; SOUZA, André Ricardo de; SIMÕES, Pedro. “Feições expressivas do movimento espírita brasileiro”. In: SIMÕES, Pedro; SOUZA, André Ricardo de. Dimensões identitárias e assistenciais do espiritismo. Curitiba: Appris, 2020, p. 51-77.

AUBREE, Marion; LAPLANTINE, François. A Mesa, o Livro e os Espíritos: gênese e evolução do movimento social espírita entre França e Brasil. Maceió: EdUFAL, 2009.

BASTIDE, Roger. Le spiritisme au Brésil. Archives de Sociologie des Religions, n. 24, p. 03-16, 1967.

BOBBIO, Norberto, MATTEUCCI, Nicola, PASQUINO, Gianfranco. Dicionário da Política. Brasília: Editora UNB, 1998.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Porto alegre: Zouk, 2011.

CAMARGO, Cândido Procópio. Kardecismo e Umbanda. São Paulo: Pioneira, 1961.

CAMARGO, Cândido Procópio. Católicos, Protestantes e Espíritas. Petrópolis: Vozes, 1973.

CAMURÇA, Marcelo. A teoria do 'continuum mediúnico' de Cândido Procópio Camargo nos anos 1960-1970: atualizações e transformações contemporâneas. Religare, v. 14, p. 05-27, 2017.

CAMURÇA, Marcelo Ayres; PEREIRA NETO, André de Faria; AMARO, Jacqueline. “O 'Espiritismo racional e científico cristão' de Luiz Mattos dos anos 1910-1920 no Brasil: uma facção 'científica' belicosa obscurecida pela hegemonia 'religiosa' da Federação Espírita Brasileira”. In: SOUZA, André Ricardo de; SIMÕES, Pedro; TONIOL, Rodrigo. (orgs.). Espiritualidade e espiritismo: reflexões para além da religiosidade. São Paulo: Porto de Ideias, 2017, p.13-54.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. O Mundo invisível: cosmologia, sistema ritual e noção de pessoa no Espiritismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DAMAZIO, Sylvia. Da Elite ao Povo. Advento e Expansão do Espiritismo no Rio de Janeiro. RJ, Bertrand Brasil, 1994.

D’ANDREA, Anthony Albert Fischer. O self perfeito e a nova era: individualismo e reflexividade em religiosidades pós-tradicionais. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

FERNANDES, Dmitri Cerboncini. Entre a terra e o céu: providencialismo e construcionismo no espiritismo kardecista. In: LELLIS, Nelson; PY, Fábio (orgs.). Religião e Política à Brasileira: ensaios, interpretações e resistência no país da religião. São Paulo: Edições Terceira Via, 2018, p. 71-80.

GIUMBELLI, Emerson. Em Nome da Caridade: assistência social e religião nas instituições espíritas, vol II. Rio de Janeiro: Núcleo de Pesquisas do ISER, 1996.

GIUMBELLI, Emerson. O Cuidado dos Mortos. uma história da condenação e legitimação do espiritismo. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

GREENFIELD, Sidney. Cirurgias do Além: pesquisas antropológicas sobre curas espirituais. Petropolis: Vozes, 1999.

HEINEN, Ingrid; RODRIGUES, Donizete. “Espiritismo e Política: o caso dos kardecistas no Brasil”. In: RODRIGUES, Donizete; LELLIS, Nelson (orgs.). Religião e Política: o contexto da lusofonia. São Paulo, Editora Recriar, 2020, p. 62-79.

KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Brasília: FEB, 1996.

KARDEC, Allan. A Gênese: os milagres e as predições segundo o Espiritismo. Brasília: FEB, 2007.

KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo. Brasília, FEB, 2005.

LEWGOY, Bernardo. O grande mediador: Chico Xavier e a cultura brasileira. Bauru: EDUSC, 2004.

LEWGOY, Bernardo. A transnacionalização do Espiritismo Kardecista brasileiro: uma discussão inicial. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 28/1, p. 84-104, 2008.

MIGUEL, Sinuê Neckel. Espiritismo e Política: o compasso dos espíritas com a conjuntura dos anos 1930-1940. Debates do NER, Porto Alegre, n.15, p.39-70, 2009.

MIGUEL, Sinuê Neckel. Movimento Universitário Espírita: religião e política no Espiritismo brasileiro (1967-1974). São Paulo: Alameda, 2014.

MILLS, Wright, C. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

MIRANDA, Júlia. Estado laico no Brasil: entre sofismas e ambigüidades. Cultura y Religión, Santiago, vol. 07, nº 2, p. 69-85, 2013.

PEREIRA FRANCO, Divaldo. Discurso no 34º Congresso Estadual Espírita de Goiás. Fórum Espírita, 2008. Disponível em : http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/polemica-com-a-entrevista-e-a-resposta-de-divaldo-franco/. Acesso em 27 de junho de 2020.

STEIL, Carlos Alberto. “As aparições marianas na história recente do catolicismo”. In: STEIL, Carlos Alberto. Maria entre os vivos: reflexões teóricas e etnografias sobre aparições marianas no Brasil, Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003, p. 19-36.

STOLL, Sandra Jacqueline. Espiritismo à Brasileira. São Paulo: EdUSP, 2003.

WEBER, Max. “A objetividade do conhecimento nas ciências sociais. In: COHN, Gabriel (org.); FERNANDES, Florestan (coord.). Weber – Sociologia. Coleção Grandes Cientistas Sociais, 13. São Paulo: Ática, 1999, p. 79-127.

WILGES, Irineu. Cultura Religiosa: as religiões no mundo. Petrópolis: Vozes, 1995.

XAVIER, Francisco Cândido (pelo espírito de Humberto de Campos). Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 2002

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Camurça, M. (2021). Conservadores x progressistas no espiritismo brasileiro: tentativa de interpretação histórico-hermenêutica. Plural, 28(1), 136-160. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176786

Edição

Seção

Dossiê: "Religião, cultura e política entre o progressismo e o conservadorismo"