A influência da religião na atuação de Damares Alves na Organização das Nações Unidas (ONU)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176957

Palavras-chave:

Religião, Direita Cristã, Damares Alves, ONU, Secularização

Resumo

O presente artigo apresenta uma análise da relação entre religião e esfera pública no Brasil contemporâneo. Para isso, observa-se a influência da filiação religiosa de Damares Alves na agenda do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos por ela comandado, contextualizando-a como expoente de uma ascendente Direita Cristã na política nacional. O texto é metodologicamente baseado na averiguação documental de oito discursos proferidos pela ministra enquanto representante do Brasil na ONU, coletados via Lei de Acesso à Informação. Problematiza-se de que maneira os valores religiosos da ministra se relacionam com os constrangimentos de uma esfera social pautada por regras laicas e seculares. Conclui-se que uma possível defesa de valores religiosos de Damares é constrangida pela institucionalidade do cargo e da instância de debate, ainda que seja possível vislumbrar a influência de seu posicionamento religioso em algumas posições sustentadas em seus discursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jordana de Moraes Neves, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFSM; Mestre em Sociologia no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFRGS e Bacharel em Ciências Sociais pela UFSM. E-mail: jordana.neves@hotmail.com.

Rafael de Oliveira Wachholz, Universidade Federal de Santa Maria

Mestre em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFSM; Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. E-mail: rafaeldeoliveiraw@gmail.com.

Referências

Instituto Humanitas Unisinos. 01 de novembro de 2018. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/188-noticias/noticias-2018/584304-o-voto-evangelico-garantiu-a-eleicao-de-jair-bolsonaro Acesso em: outubro de 2020.

BAUBÉROT, Jean. A favor de uma sociologia intercultural e histórica da laicidade. Civitas: Revista de Ciências Sociais. Porto Alegre, EDIPUC-RS, vol. 11, n 2, 2011.

BAUBÉROT, J. Sécularisation, Laicité, Laicisation. Empan: Prendrelamesure de l’humain. v. 1, n. 90: 31-38, Paris: Eres. 2013.

BLANCARTE, Roberto. América Latina, entre pluri-confesionalidad y laicidad. Civitas: Revista de Ciências Sociais. Vol. 11, Nº 2, Porto Alegre, EDIPUCRS, 2011.

BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda: razões e significados de uma distinção política. São Paulo, Editora da Universidade Estadual Paulista – UNESP, 1995.

BRAGON, Ranier; SANDER, Letícia. 58% da propina foi para evangélicos, diz CPI dos Sanguessugas. Folha de São Paulo. Brasília, 12 de agosto de 2006. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u81306.shtml Acesso em: outubro de 2020.

BRASIL SEM ABORTO. Comunicado sobre o PL 478/2007 (Estatuto do Nascituro). 30 de julho de 2015. Disponível em: https://brasilsemaborto.org/projetos-de-lei/comunicado-sobre-o-pl-4782007-estatuto-do-nascituro/ Acesso em: outubro de 2020.

BURITY, Joanildo. El pueblo evangélico: construcción hegemónica, disputas minoritarias y reacción conservadora. Encartes, vol. 3, n. 6, set. 2020 – fev. 2021, pp. 1-35. Disponível em: https://encartesantropologicos.mx/ Acesso em: outubro de 2020.

BURITY, Joanildo. (2020). Onda conservadora e surgimento da nova direita cristã brasileira? a conjuntura pós-impeachment no Brasil. Ciencias Sociales Y Religión/Ciências Sociais E Religião. N.22, e020015. Disponível em:https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/csr/article/view/13754 Acesso em: Outubro de 2020.

CAMPOREZ, Patrik. Damares apresenta filha adotiva e diz que não sequestrou ninguém. EPOCA. 21 de maio de 2019. Disponível em: https://epoca.globo.com/damares-apresenta-filha-adotiva-diz-que-nao-sequestrou-ninguem-23682848 Acesso em: outubro de 2020.

CASANOVA, José. Public Religions in the modern world. Chicago: The university of Chicago Press, 1994.

CONGER, K. The Christian Right in U.S. Politics. Oxford Research Encyclopedia of Politics. Setembro, 2019. Disponível em: https://oxfordre.com/politics/view/10.1093/acrefore/9780190228637.001.0001/acrefore-9780190228637-e-810Acesso em: janeiro de 2021.

DESIDERI, Leonardo. Aliança pela liberdade religiosa une Trump e Bolsonaro; conheça os princípios. Gazeta do Povo. Brasília, 06 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/principios-da-alianca-pela-liberdade-religiosa/ Acesso em: outubro de 2020.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. “O Estado é laico, mas nosso governo é cristão”, diz Bolsonaro no Twitter. 16 de setembro de 2020. Disponível em: https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2020/09/o-estado-e-laico-mas-nosso-governo-e-cristao-diz-bolsonaro-no-twit.html Acesso em: outubro de 2020.

EMBAIXADA E CONSULADOS DOS EUA NO BRASIL. Segunda reunião ministerial histórica para promover a liberdade religiosa. 16 de julho de 2019. Disponível em: https://br.usembassy.gov/pt/segunda-reuniao-ministerial-historica-para-promover-a-liberdade-religiosa/ Acesso em: outubro de 2020.

ESTADÃO. Eleições 2018; Apuração 1º turno. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/eleicoes/2018/cobertura-votacao-apuracao/primeiro-turno Acesso em: outubro de 2020.

EXAME. Venezuela: Bolsonaro fala sobre “ditadura de Maduro” e rejeita intervenção. 30 de outubro de 2018. Disponível em: https://exame.com/mundo/venezuela-bolsonaro-fala-sobre-ditadura-de-maduro-e-rejeita-intervencao/ Acesso em: outubro de 2020.

FERREIRA, Cynthia. Flores na Marcha pela Vida contra o aborto. Instituto Flores de Aço. 5 de novembro de 2014. Disponível em: http://institutofloresdeaco.blogspot.com/2014/11/flores-na-marcha-pela-vida-contra-o.html?q=damares Acesso em: outubro de 2020.

FOLHA DE S.PAULO. No rádio, Bolsonaro associa a Venezuela e Haddad e critica violência. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/no-radio-bolsonaro-associa-pt-a-venezuela-e-haddad-critica-violencia.shtml Acesso em: outubro de 2020.

FONSECA, Alexandre B. Foram os evangélicos que elegeram Bolsonaro? Instituto HumanitasUnisinos. 07 de novembro de 2018. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/584446-foram-os-evangelicos-que-elegeram-bolsonaro# Acesso em: outubro de 2020.

FRESTON: Protestantes e política no Brasil: da Constituinte ao impeachment. (Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Campinas. 303 f. São Paulo, Unicamp, 1993.

GOVERNO BRASILEIRO. Operação Acolhida. Disponível em: https://www.gov.br/acolhida/historico/ Acesso em: outubro de 2020.

G1. Política. Bolsonaro diz no Conselho de Ética que coronel Ustra é ‘herói brasileiro’. Brasília. 08 de novembro de 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/11/bolsonaro-diz-no-conselho-de-etica-que-coronel-ustra-e-heroi-brasileiro.html Acesso em: outubro de 2020.

G1. Juan Guaidó se declara presidente interino da Venezuela e é reconhecido por Brasil e EUA. 23 de janeiro de 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/01/23/juan-guaido-presta-juramento-como-presidente-interino-da-venezuela.ghtml Acesso em: outubro de 2020.

MAIA, Eduardo Lopes Cabral. A Política Evangélica: análise do comportamento da Frente Parlamentar Evangélica na Câmara Federal (2007-2010). (Tese de doutorado). 335 f. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina. Santa Catariana, UFSC, 2012.

MAIA, Gustavo. Campanha de Bolsonaro associa adversários a Maduro: “quem planta, colhe”. UOL Notícias. São Paulo, 20 de setembro de 2018. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/09/20/campanha-de-bolsonaro-associa-adversarios-a-maduro-para-atrair-votos.htm Acesso em: outubro de 2020.

MARIANO, Ricardo; PIERUCCI, Antonio Flavio. O envolvimento dos pentecostais na eleição de Collor. Novos Estudos Cebrap. São Paulo, nov., 1992 v. 3, n. 34: 92-106.

MARIANO, Ricardo. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos Avançados. São Paulo, 2004, n. 52, v.18: 121-138.

MARIANO, Ricardo. Laicidade à brasileira: Católicos, pentecostais e laicos em disputa na esfera pública. Civitas: Revista de Ciências Sociais. Porto Alegre, EDIPUCRS, 2011 v. 11, n.2: 238-258.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. 5º ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

MARIANO, Ricardo; GERARDI, Dirceu Aandré. (2019). Eleições presidenciais na América Latina em 2018 e ativismo político de evangélicos conservadores. Revista USP. n.120: 61-76. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/155531/151189 Acesso em: outubro de 2020.

MINISTÉRIO DA FAMÍLIA DA MULHER E DOS DIREITOS HUMANOS. Outubro de 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br Acesso em: outubro de 2020.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. Caso Lava Jato. Disponível em: http://www.mpf.mp.br/grandes-casos/lava-jato/entenda-o-caso Acesso em: outubro de 2020.

MONTERO, Paula. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Novos Estudos Cebrap. São Paulo, março 2006. n.74: 47-65.

MONTERO, Paula. Secularização e espaço público: a reinvenção do pluralismo religioso no Brasil. Etnográfica. maio 2009. v.13, n.1, p.7-16.

NOVAES, Regina. A divina política. Notas sobre as relações delicadas entre religião e política. Revista USP. São Paulo, março-maio, 2001 n. 49: 60-81.

ONU MULHERES BRASIL. Princípios de empoderamento das mulheres. Novembro de 2017. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/cartilha_ONU_Mulheres_Nov2017_digital.pdf. Acesso em: outubro de 2020.

OTÁVIO, Chico. “O Brasil é laico, mas o presidente é cristão”, diz Bolsonaro. O Globo. 15 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://valor.globo.com/politica/noticia/2020/02/15/o-brasil-e-laico-mas-o-presidente-e-cristao-diz-bolsonaro.ghtml. Acesso em: outubro de 2020.

PIERUCCI, Antonio Flavio; PRANDI, Rreginaldo. Religiões e voto: a eleição presidencial de 1994. Opinião Pública. Campinas, maio 1995. v. 3, n. 1, p.32-63.

PLEYERS, Geoffrey. El ascenso político de los actores religiosos conservadores. Cuatro lecciones del caso brasileño. Encartes. v. 3, n. 6, septiembre 2020-febrero 2021, pp. 65-84. Disponível em: https://encartesantropologicos.mx/ Acesso em: outubro de 2020.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Casa civil. Lei n. 12.527. 18 de novembro de 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm Acesso em: outubro de 2020.

SHALDERS, André. Como Damares Alves saiu de ministra ‘periférica’ a figura central do bolsonarismo. BBC News Brasil. Brasília, 3 de setembro de 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53980530 Acesso em: outubro de 2020.

TAYLOR, Charles. Uma era secular. Trad. de Nélio Schneider e Luiza Araújo. São Leopoldo: Ed. da Unisinos, 2010.

TOLOTTI, Rodrigo. Conheça o livro de cabeceira de Jair Bolsonaro: “A verdade sufocada”. InfoMoney. 31 de julho de 2018. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/politica/conheca-o-livro-de-cabeceira-de-jair-bolsonaro-a-verdade-sufocada/ Acesso em: outubro de 2020.

VITORIO, Tamires. “Estado é laico, mas ele é cristão”, diz Bolsonaro na Marcha para Jesus. Exame. 20 de junho de 2019. Disponível em: https://exame.com/brasil/o-estado-e-laico-mas-ele-e-cristao-diz-bolsonaro-na-marcha-para-jesus/ Acesso em: outubro de 2020.

WEBER, Max. “As seitas protestantes e o espírito do capitalismo”. In: Ensaios de Sociologia. 5ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, 2001.

WEBER, Max. Ciência e política: duas vocações. 17ª Ed. São Paulo: Cultrix, 2011.

ZEPEDA, José de Jesús Legorreta. Secularizacão ou ressacralização? O debate sociológico contemporâneo sobre a teoria da secularização. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, jun. 2010. v. 25, n. 73: 129-141.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Neves, J. de M., & Wachholz, R. de O. . (2021). A influência da religião na atuação de Damares Alves na Organização das Nações Unidas (ONU). Plural, 28(1), 161-183. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176957

Edição

Seção

Dossiê: "Religião, cultura e política entre o progressismo e o conservadorismo"