Aborto e ativismo “pró-vida” na política brasileira

Autores

  • Ana Carolina de Oliveira Marsicano Universidade Federal de Pernambuco https://orcid.org/0000-0002-4372-7192
  • Joanildo Albuquerque Burity Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176982

Palavras-chave:

Aborto, Política sexual, Conservadorismo religioso, “Pró-vida”

Resumo

Neste artigo, buscamos analisar a atuação de grupos políticos conservadores e antidireitos a partir das proposições legislativas apresentadas na 56ª Legislatura (2019-2020) e que versam sobre o aborto e a forma pela qual a interseção entre religião, gênero e sexualidade se manifesta na política contemporânea brasileira. Trata-se de estudo descritivo com abordagem qualiquantitativa das proposições legislativas, considerando a região de origem, religião, gênero e o partido político dos parlamentares que apresentaram as proposições;  o eixo temático no campo da discussão dos direitos sexuais e reprodutivos no qual se inserem e em oposição a quais políticas públicas se posicionam. Na primeira seção do artigo abordamos a articulação entre religião, gênero e sexualidade no campo da política, apontando como através de determinada política sexual o discurso conservador do mundo religioso católico e evangélico “pró-vida” se vê reafirmado e reproduzido pelo conservadorismo político que compõe o cenário político contemporâneo no Brasil. Em seguida serão apresentados os resultados obtidos através da sistematização de dadas proposições legislativas, com algumas considerações teórico-metodológicas sobre as fontes utilizadas e a forma de composição dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Oliveira Marsicano, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) pela linha de pesquisa Cultura Política, Identidade Coletivas e Representações Sociais. Bolsista pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE). E-mail: ana.marsicano@ufpe.br.

Joanildo Albuquerque Burity, Universidade Federal de Pernambuco

Pesquisador titular da Diretoria de Pesquisas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco e Professor dos Programas de Pós-graduação em Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

AGUILAR, Raquel Gutiérrez. La lucha de las mujeres contra todas las violencias en México: reunir fragmentos para hallar sentido. In: GAGO, Verônica et al. 8M Constelación feminista: ¿Cuál es tu huelga? ¿Cuál es tu lucha?. Buenos Aires: Tinta Limón, 2018, p. 25-48. Essa ten

AHUMADA, Cristian Alejandro Venegas. El aborto en los países de la subregión andina: discursos, políticas y resistencias. Aposta: revista de ciencias sociales, n. 56, p. 1-45, 2013. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4191191. Acesso em: 13/05/2021.

ALMEIDA, Ronaldo de. A onda quebrada - evangélicos e conservadorismo. Caderno Pagu, 50(e175001), 2017.

BIROLI, Flávia. Reação conservadora, democracia e conhecimento.Revista deAntropologia, v. 61, n. 1, p. 83-94, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp. br/ra/article/view/145515. Acesso em: 13/05/2021.

BIROLI, Flávia; VAGGIONE, Juan Marco; MACHADO, Maria das Dores Campos. Gênero, neoconservadorismo e democracia: disputas e retrocessos na América Latina. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2020.

BIROLI, Flávia; CAMINOTTI, Mariana. The conservative Backlash against gender in Latin America. Politics & Gender, Volume 16, Special Issue 1: Special Symposium on Women’s Parties. 2020.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Emenda de Plenário a Projeto com Urgência. EMP 17 → PL 1552/2020. Proíbe a utilização de recursos na aquisição ou manutenção de equipamentos, em serviços ou em quaisquer outros tipos de atividade que tenham relação, direta ou indiretamente, com o aborto provocado. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1911566. Acesso em: 15/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Emenda de Plenário a Projeto com Urgência. EMP 6 → PL 1444/2020. Suprime o art. 5ºC do Substitutivo ao PL nº 1.444/2020, que estabelece medidas emergenciais de proteção à mulher vítima de violência doméstica durante a emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1911672&filename=EMP+6+%3D%3E+PL+1444/2020. Acesso em: 15/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Decreto Legislativo de Sustação de Atos Normativos do Poder Executivo PDL nº 250/2020. Susta os efeitos da Nota Técnica nº 16/2020, do Ministério da Saúde, 2020a. Disponível emhttps://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1900608&filename=PDL+250/2020. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Decreto Legislativo de Sustação de Atos Normativos do Poder Executivo PDL nº 271/2020. Susta a aplicação de Normas Técnicas expedidas pelo Ministério da Saúde, 2020b. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1903363&filename=PDL+271/2020. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei PL nº 2893/2019. Revoga o art. 128 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal). 2019 Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1897598&filename=PL+2893/2020. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei PL nº 4233/2020. Altera as redações do parágrafo único do artigo 83, dos artigos 213, caput e §§ 1º e 2º e 217-A, caput e §§ 3º e 4º, todos do Decreto-lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 e a do § 2º do artigo 2º da Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1923160. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei PL nº 4149/2020. Institui a Semana Nacional do Nascituro. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1781167&filename=PL+4149/2019. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1977/2020. Altera e revoga dispositivos da Lei nº 12.845, de 1º de agosto de 2013, a fim de aprimorar sua redação. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1910172&filename=PL+1977/2020. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 261/2019. Dispõe sobre a proibição do comércio, propaganda, distribuição e implantação pela Rede Pública de Saúde de Micro Abortivos e dá outras providências. 2019. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1707073&filename=PL+261/2019. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 3415/2019. Inclui o § 3º no art. 273 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal, para agravar a pena para a venda de remédios abortivos e altera o inciso V, do art. 10, da Lei 6.437, de 20 de agosto de 1977 para incluir a aplicação de multa 10x maior que o mínimo legal para quem faz propaganda de medicamentos proibidos que provoquem aborto. 2019. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1762587&filename=PL+3415/2019. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1945/2020. Altera dispositivo do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), para fins de inclusão de causa de aumento de pena em caso de aborto realizado em razão de microcefalia ou qualquer outra anomalia ou malformação do feto. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1883005&filename=PL+1945/2020. Acesso em: 12/ 05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1007/2019. Altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 1940. 2019. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1713143&filename=PL+1007/2019. Acesso em: 12/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1006/2019. Altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 1940. 2019. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1713141&filename=PL+1006/2019. Acesso em: 12/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1008/2019. Altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 1940. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1713146&filename=PL+1008/2019. Acesso em: 12/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 3290/2019. Altera a Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006, para determinar a reserva de unidades habitacionais, em programas públicos ou subsidiados com recursos públicos, para atendimento de mulheres em situação de violência doméstica e familiar que possuam medidas protetivas de urgência, conforme os termos fixados pela Lei. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra; jsessionid=node03upytsgdomuf1v1j9avyfmkf04854514.node0?codteor=1759531&filename=PL+3290/2019. Acesso em: 15/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 4390/2012. Altera a Lei nº 11.977, de 7 de julho de 2009, para prever tratamento prioritário às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1022872&filename=PL+4390/2012. Acesso em: 14/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1444/2020. Estabelece medidas emergenciais de proteção à mulher vítima de violência doméstica durante a emergência de saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1872652&filename=PL+1444/2020. Acesso em: 14/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 1552/2020. Dispõe sobre a proteção de mulheres em situação de violência durante a vigência do estado de calamidade pública, com efeitos até 31 de dezembro de 2020, ou enquanto durarem medidas de quarentena e restrições de atividades no contexto da pandemia do COVID-19 (Novo Coronavírus). Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1873271&filename=PL+1552/2020. Acesso em: 15/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Requerimento de convocação de ministro nº 1469/2020. Requer o comparecimento do Sr. Eduardo Pazuello, Ministro interino da Saúde, para prestar esclarecimentos acerca dos motivos da exoneração do corpo técnico da Coordenação de Saúde das Mulheres, da Coordenação-Geral de Ciclos da Vida e da revogação da nota técnica 16/2020 –COSMU/CGCIVI/DAPES/SAPS/MS, que visava garantir o acesso à saúde sexual e saúde reprodutiva em tempos da pandemia da COVID-19. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1901876. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Requerimento de convocação de ministro nº 600/2020. Requer ao Ministro Interino da Saúde, Senhor Eduardo Pazuello, informações sobre as políticas de acesso à saúde sexual e saúde reprodutiva das mulheres no contexto da pandemia de Covid-19. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1902134&filename=RIC+600/2020. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL. Lei nº 12.845/2013. Dispõe sobre o atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual. Diário Oficial da União 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12845.htm. Acesso em: 17/05/2021.

BRASIL. Lei nº 13.931/2019. Altera a Lei nº 10.778, de 24 de novembro de 2003, para dispor sobre a notificação compulsória dos casos de suspeita de violência contra a mulher. Diário Oficial da União 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13931.htm. Acesso em: 13/05/2021.

BRASIL. Lei nº 10.778/2003. Estabelece a notificação compulsória, no território nacional, do caso de violência contra a mulher que for atendida em serviços de saúde públicos ou privados. Diário Oficial da União 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.778.htm. Acesso em: 13/05/2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Coordenação-Geral de Ciclos da Vida. Coordenação da Saúde da Mulher. Nota Técnica Nº 16/2020-COSMU/CGCIVI/DAPES/SAPS/MS. Acesso à saúde sexual e reprodutiva no contexto da pandemia da Covid-19.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes: norma técnica / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília : Ministério da Saúde, 1998.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Área Técnica de Saúde da Mulher. Brasília : Ministério da Saúde, 2005.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 5881/DF – Distrito Federal. Relator: Ministro Marco Aurélio. 2018. Disponível em: https://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=5341622. Acesso em: 10/05/2021.

BURITY, Joanildo Albuquerque. A cena da religião pública: contingência, dispersão e dinâmica relacional.Novos estudos CEBRAP, n. 102, p. 89-105, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/nec/n102/1980-5403-nec-102-89.pdf. Acesso em: 13/05/2021.

BURITY, Joanildo Albuquerque. Glocalização e mudança de identidade: missionários brasileiros pentecostais e carismáticos no Reino Unido. Religião e Sociedade, v. 38, n. 1, p. 14-35, 2018a. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rs/v38n1/0100-8587-rs-38-1-00014.pdf. Acesso em: 13/05/2021.

BURITY, Joanildo Albuquerque. A onda conservadora na política brasileira traz o fundamentalismo ao poder?. In: ALMEIDA, Ronaldo; TONIOL, Rodrigo (Orgs.).Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: Análises conjunturais. Campinas: Ed. Unicamp, 2018b, p. 15-66.

BURITY, Joanildo Albuquerque. Conservative Wave, Religion and the Secular State in Post-impeachment Brazil. International Journal of Latin American Religions, v. 2, n. 4, p. 83-107, 2020a.

BURITY, Joanildo Albuquerque. ¿Ola conservadora y surgimiento de una nueva derecha cristiana brasileña? La coyuntura posimpeachment en Brasil. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião,v. 22, e020015, 2020b. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp. br/inpec/index.php/csr/article/view/13754/9030. Acesso em: 13/05/2021.

CARRARETO, Glacieri. A história da menina estuprada que engravidou e foi chamada de assassina. Agazeta, Espírito Santo, Agosto de 2020.

CASANOVA, José. Public Religions in The Modern World. Chicago: University of Chicago Press. 1994.

CASANOVA, José. Public religions revisited, In: De Vries, Hent. (Org.) Religion. Beyond a concept. Fordham: Fordham University Press, pp. 101-119, 2008.

CASANOVA, José. Religion challenging the myth of secular democracy. In: CHRISTOFFERSEN, Lisbet et al (orgs.). Religion in the 21st century: challenges and transformations. Farnham/Burlington: Ashgate, pp. 19-36, 2010.

CONNOLLY, William. Capitalism and Christianity, American style. Durham: Duke University Press, 2008.

CORREA, Sônia. Aborto na cena política global: fios de história, desafios do momento. Revista de Salud Sexual y Reproductiva, n. 18, p. 1-15, 2004.

DELEUZE, Giles; GUATTARI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, vol. 3. São Paulo: Editora 34, 1999.

DIDES, Claudia (Ed). Diálogos Sur-sur sobre religión, derechos y salud sexual y reproductiva: los casos de Argentina, Colombia, Chile y Perú. Santiago: UAHC: PROGÉNERO. 2004.

GAGO, Verónica. A potência feminista, ou o desejo de transformar tudo. São Paulo: Elefante, 2020.

HTUN, Mala. Sex and the State. Abortion, Divorce and the Family under Latin American Dictatorships and Democracies. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

LACERDA, Marina Basso. Neoconservadorismo: articulação pró-família, punitivista e neoliberal na Câmara dos Deputados. Tese (Doutorado em Ciência Política). Rio de Janeiro, Instituto de Estudos Sociais e Políticos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2018.

MACHADO, Maria das Dores Campos. Política e religião: a participação dos evangélicos nas eleições. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

MACHADO, Maria das Dores Campos. Discursos pentecostais em torno do aborto e da homossexualidade na sociedade brasileira. Cultura y Religión, v. 7, n. 2, p. 48-68, 2013.

MACHADO, Maria das Dores Campos. O discurso cristão sobre a “ideologia de gênero”. Revista Estudos Feministas, v. 26, n. 2, e47463, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ref/v26n2/1806-9584-ref-26-02-e47463.pdf. Acesso em: 13/05/2021.

JAIME,Martín; VALDIVIA, Fátima (Eds.).Mujeres, aborto y religions en Latinoamérica – Debates sobre política sexual, subjetividades y campo religioso. Lima: CMP Flora Tristán/UNMSM, 2020.

MENDONÇA, Ana. Advogada nomeada por Damares é contra aborto em caso de estupro. Estado de Minas, Minas Gerais, 31 de agosto de 2020.

MIGUEL, Luis Felipe; BIROLI, Flávia; MARIANO, Rayani. O direito ao aborto no debate legislativo brasileiro: a ofensiva conservadora na Câmara dos Deputados. Opinião Pública, v. 23, n. 1,p. 230-260, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/op/v23n1/1807-0191-op-23-1-0230.pdf. Acesso em: 13/05/2021.

MONTE, María Eugenia; VAGGIONE, Juan Marco. Cortes irrumpidas. La judicialización conservadora del aborto en Argentina. Rupturas, v.9, n.1, p. 104-122, 2019. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6671417. Acesso em: 13/05/2021.

MORÁN FAÚNDES, José Manuel. El desarrollo del activismo autodenominado "Pro-Vida" en Argentina, 1980-2014.Revista Mexicana de Sociología, v. 77, n. 3, p. 407-435, 2015.

MORÁN FAÚNDES, José Manuel. De vida o muerte. Patriarcado, heteronormatividad y el discurso de la vida del activismo “Pro-Vida” en la Argentina. Córdoba: Centro de Estudios Avanzados, 2017.

MORÁN FAÚNDES, José Manuel; MORGAN, Lynn M. La vida no es una sola: los usos políticos de la “vida” en latinoamérica. Culturales, v.6, e326, 2018.

MORGAN, Lynn M; ROBERTS, Elizabeth F. S. Reproductive governance in Latin America. Anthropology & Medicine, v. 19, n. 2, p. 241-254, 2012.

MUJICA, Jaris. Economía Política del Cuerpo. La reestructuración de los grupos conservadores y el biopoder. Lima: Centro de Promoción y Defensa de los Derechos Sexuales y Reproductivos, 2007.

ORO, Ari Pedro. A política da igreja universal e seus reflexos nos campos religiosos e políticos brasileiros. Trabalho apresentado no XXVI Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, 22 a 26 de outubro, 2002.

ORO, Ari Pedro. Religiões e eleições em Porto Alegre: um comparativo entre 2000 e 2004. Debates do NER, ano 5, n. 6, p. 9-34, 2004.

REZENDE, Lucas. Menina de 10 anos grávida tem aborto negado no ES e vai a outro Estado. UOL, Espírito Santo, 16 de agosto de 2020.

ROSADO-NUNES, Maria José Fontelas. O aborto sob o olhar da religião: um objeto à procura de autor@s. Estud. sociol.,17 (32), 21-43, 2012.

RUBIN, Gayle. El tráfico de mujeres: notas sobre la “economía política” del sexo. In: LAMAS, Marta (Org.). El género: La construcción cultural de la diferencia sexual. Universidad Nacional Autónoma de México, PUEG, México, 1996, p. 35-96.

SEVILLA, Carolina M Neyra; NICOLI, Diego Quesado. El anticonceptivo oral de emergencia en el Perú: discursos y contradiscursos de una batalla judicial. In: JAIME, Martín; VALDIVIA, Fátima. (Eds.) Mujeres, aborto y religiones en Latinoamérica: debates sobre política sexual, subjetividades y campo religioso, Lima: CMP Flora Tristán/UNMSM, 2020.

SGRO, Candelaria; RABBIA, Hugo; IOSA, Tomas. El Debate sobre el Matrimonio Igualitario en Córdoba. Actores, estrategias y discursos. Córdoba: Ferrerya Editor, 2011.

STEFANONI, Pablo. Biblia, buey y bala...recargados: Jair Bolsonaro, la ola conservadora en Brasil y América Latina. Nueva Sociedad n. 278, 2018.

TONIETTO, Chris. O ministro Barroso e a cultura de morte. Gazeta do Povo. 2020. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/o-ministro-barroso-e-a-cultura-da-morte/#:~:text=Pr%C3%A1tica%20das%20mais%20contr%C3%A1rias%20%C3%A0,os%20povos%2C%20religi%C3%B5es%20e%20culturas. Acesso em: 12/02/2021.

VAGGIONE, Juan Marco. Reactive Politicization and Religious Dissidence. The Political Mutations of the Religious in Social Theory and Practice. Social Theory and Practice, v. 31, n. 2, p. 233-255, 2005.

VAGGIONE, Juan Marco. La sexualidad en el mundo post secular. El activismo religioso y los derechos sexuales y reproductivos. In: GERLERO, M. Derecho a la sexualidad. Buenos Aires: Grinberg. 2009, p. 141-159.

VAGGIONE, Juan Marco. El activismo religioso conservador en Latinoamérica. Córdoba: CDD, 2010.

VAGGIONE, Juan Marco. Derechos sexuales y reproductivos. Repensando las dimensiones religiosas de la política. In: VVAA. Pensando los feminismos en Bolivia. La Paz: Conexión Fondo de Emancipación, 2012, p. 297-318.

VAGGIONE, Juan Marco. Laicidad y sexualidad. Cidade do México: UNAM, 2013.

VAGGIONE, Juan Marco. A restauração legal: o neoconservadorismo e o direito na América Latina. In: BIROLI, Flávia; VAGGIONE, Juan Marco; MACHADO, Maria das Dores Campos. Gênero, neoconservadorismo e democracia: disputas e retrocessos na América Latina. Sâo Paulo: Boitempo, 2020.

VAGGIONE, Juan Marco; MUJICA, Jaris. Algunos puntos de discusión en torno al activismo (religioso) conservador en América Latina. In: VAGGIONE, Juan Marco; MUJICA, Jaris. Conservadurismo, religión y política. Perspectivas de investigación en América Latina (pp. 17-40). CIECS-CONICET-UNC. 2013.

VÉLEZ, Ana Cristina González. “La situación del aborto en Colombia: entre la ilegalidad y la realidade”. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 2, p. 624-628, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v21n2/30.pdf. Acesso em: 14/05/2021.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Marsicano, A. C. de O., & Burity, J. A. . (2021). Aborto e ativismo “pró-vida” na política brasileira. Plural, 28(1), 50-79. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2021.176982

Edição

Seção

Dossiê: "Religião, cultura e política entre o progressismo e o conservadorismo"