Debret e a Missão Artística Francesa de 1816: aspectos da constituição da arte acadêmica no Brasil

  • Anderson Ricardo Trevisan Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Debret, Jean Baptiste (1768-1848), missão artística francesa de 1816, Academia Imperial de Belas-Artes, arte acadêmica, história do Brasil (Império), sociologia da cultura, sociologia da arte.

Resumo

O presente artigo visa discutir a trajetória de Jean Baptiste Debret (1768-1848), partindo dos seus últimos momentos como pintor de cenas heróicas de Napoleão Bonaparte (1769-1821), em 1815, até sua vinda para o Brasil em 1816, onde permaneceu até 1831. Debret veio ao Brasil como pintor de história da chamada Missão Artística Francesa, acontecimento polêmico que resultou na fundação da Academia Imperial de Belas-Artes do Rio de Janeiro, em 1826. Debret foi um dos principais artistas desse grupo, e lutou desde o início com a hostilidade de artistas portugueses, como Henrique José da Silva, pela instituição de um ensi-no artístico aos moldes franceses. Após 15 anos de estadia no pais, Debret regres-sou à França e lançou seu livro Viagem pitoresca e histórica ao Brasil, obra que garantiu sua posteridade, tanto entre os franceses como entre os brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Ricardo Trevisan, Universidade de São Paulo

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP)

Publicado
2007-12-01
Como Citar
Trevisan, A. (2007). Debret e a Missão Artística Francesa de 1816: aspectos da constituição da arte acadêmica no Brasil. Plural - Revista De Ciências Sociais, 14, 9-32. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2007.75459
Seção
Artigos