Chamada de artigos para o dossiê temático:
Estudos decoloniais na arquitetura, no urbanismo, no design e na arte
Editora convidada: Profa. Nilce Cristina Aravecchia Botas
Data limite para o envio de artigos: 30 de outubro de 2020
Publicação: Primeiro semestre de 2021
 
Desde as interpretações que dialogaram com o marxismo, para discutir a condição de países latino-americanos, como Mariátegui no Peru e Caio Prado Jr. no Brasil, foi-se armando teoricamente no campo das ciências humanas um pensamento mais estruturado sobre as condições de inserção da América Latina no sistema capitalista. A tradição latino-americana não ficou restrita ao pensamento marxista, como o demonstram as contribuições de Raul Prebisch e Celso Furtado representativos do grupo de intelectuais que se reuniu na Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), formuladores do pensamento desenvolvimentista. Ao final da década de 1960 essa tradição alcançou seu auge com a formulação do conceito de dependência num denso debate que contou principalmente com a participação de inúmeros intelectuais marxistas, entre os quais, Ruy Mauro Marini, Teotônio dos Santos, Vania Bambirra e Fernando Henrique Cardoso. Foi nesse momento que os campos da arquitetura, do urbanismo, do design e das artes, também se voltaram para os temas do imperialismo norte-americano e da dependência econômica e cultural na América Latina, com nomes como Enrique Brownie, Jorge Henrique Hardoy e Gui Bonsiepe. Já ao final do século XX, os estudos culturais, os estudos pós-coloniais e a teoria do sistema mundo, viriam a incrementar a produção intelectual latino-americana, dando sequência às perspectivas e intersecções disciplinares em articulação. Desdobraram-se daí, nos anos 2000, os chamados estudos decoloniais, que envolvem inúmeros intelectuais, alguns dos quais, eles próprios partícipes da tradição crítica latino-americana, como são os casos de Enrique Dussel e Aníbal Quijano, articulando as ideias de subdesenvolvimento e dependência à colonialidade do saber no âmbito das ciências sociais e humanas. Entre os pontos de contato que aproximam diversos trabalhos, a distintiva do que se pode denominar de projeto decolonial é a produção de conhecimento a partir da enunciação dos lugares e dos corpos. Parte-se do reconhecimento de uma condição colonial, que perdurou mesmo após as independências e que ganhou novos contorno no século XIX, quando o sistema-mundo moderno capitalista consolidou desigualdades econômicas históricas, apoiando-se na divisão racial e sexual do trabalho. Essa lógica teria características específicas na América Latina, tanto por seu passado como colônia ibérica, quanto por sua posição diante da potência do Norte. No âmbito da arquitetura e do urbanismo, do design e das artes, são exemplos, o conceito de "design pluriverso" de Arturo Escobar que parte do cruzamento de múltiplas visões de mundo, colocando em suspeição o cânone ocidental e as prerrogativas disciplinares nascidas na modernidade, e de "economia barroca" de Verônica Gago que vê a cidade em sua heterogeneidade, como uma trama de modos de produção e consumo diversos, e de significados em disputa. Portanto, as formulações desses intelectuais, muito diferentes entre si, recolocam questões que vem desde o pós-guerra, mas em termos de uma ontologia política dos corpos e do território. É considerando a atualidade do debate, que a Revista Pós convida pesquisadoras e pesquisadores a contribuírem com o Dossiê Estudos decoloniais na arquitetura, no urbanismo, no design e na arte. Pretende-se assim promover um debate qualificado acerca dos sentidos de determinados termos, cujas referências tem se tornado recorrentes. Serão analisados trabalhos específicos desses campos, e também aqueles que proponham diálogos transversais e ampliados para outras áreas das ciências humanas, mas que atentem para as questões temáticas e ou metodológicas dos estudos decoloniais latino-americanos como por exemplo: tempos e espaços da modernidade-colonialidade na América Latina; culturas de diásporas e condição colonial; estéticas decoloniais; desing ontológico; design pluriverso; articulações simbólicas e materiais da arte, da arquitetura e do design; cânones artísticos em perspectiva decolonial; centros e periferias no mundo e na América Latina; história e memória na América Latina; lugares epistemológicos no mundo das artes.

 

  • Dossiês Temáticos

    2019-12-03

    A partir de 2020 a Revista Pós começará a propor temas para suas edições semestrais. Além dos "Dossiês Temáticos" a revista continuará a publicar, em fluxo contínuo, artigos de todos os demais assuntos relacionados à arquitetura, ao urbanismo e ao design. Segue a relação de temas para os próximos três anos:
    2020: Meio ambiente e espaço construído: ideias, técnicas e processos;
    2020: Estudos decoloniais na arquitetura, no urbanismo, no design e na arte;
    2021: Arquitetura, Urbanismo e Design frente à crise do capitalismo e ao ideário neoliberal;
    2021: Habitação de Interesse Social: políticas públicas e projeto;
    2022: Processo de projeto: métodos, estratégias e teorias;
    2022: A questão racial em arquitetura, urbanismo e design no Brasil; 

    Saiba mais sobre Dossiês Temáticos
  • Revista PÓS FAUUSP 2019

    2019-06-04
    A Revista Pós da FAUUSP passará a publicar em fluxo contínuo, como já fazem muitos dos periódicos acadêmicos internacionais e nacionais.  A iniciativa visa agilizar a publicação das pesquisas adotando o fluxo da mídia eletrônica, e não mais o das impressas.  Ademais, atenderemos à sugestão de indexadores como o Scielo e o Redalyc, cujos parâmetros têm sido considerados para as estratégias editorias da Revista Pós. Tais iniciativas buscam aprimorar o fluxo editorial da Revista Pós e ampliar ainda mais sua inserção nacional e internacional   Leandro Medrano Editor Chefe   Saiba mais sobre Revista PÓS FAUUSP 2019
  • Chamada de trabalhos (2017)

    2017-04-14

    Comunicamos que a partir de abril de 2017 a Revista Pós passa a receber artigos em fluxo contínuo. 

    A Revista Pós é um periódico científico internacional, arbitrado e indexado, administrado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Seu objetivo é publicar os resultados de pesquisas nacionais e internacionais,  por meio de artigos inéditos, revisados pelo sistema blind peer review, e assim contribuir para a divulgação da produção científica desenvolvida nas diversas áreas relacionadas à arquitetura, ao urbanismo e ao design.

    Desde 2016 a revista segue os padrões de edição normatizados pelos indexadores Scielo e SCOPUS.

    Serão aceitos artigos em Inglês, Português e Espanhol.

    Os artigos deverão ser submetidos da seguinte forma:

    1. Entrar no site da revista: http://www.revistas.usp.br/posfau
    2. Clicar em “Acesso”.
    3. Se for o primeiro acesso preencher os dados pessoais no item “Cadastro”.  Se já estiver cadastrado, basta preencher login e senha.
    4. Seguir as instruções do sistema para realizar a submissão.

    O cadastro no sistema é gratuito. Deve ser feito por meio de login e senha. O cadastro é obrigatório para a submissão de trabalhos, bem como o acompanhamento do processo editorial em curso. 

    Prof. Leandro Medrano
    Editor-Chefe

    Saiba mais sobre Chamada de trabalhos (2017)