Por quem os rios secam?

Autores

  • Anália M. M. C. Amorim

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v22i37p102-115

Palavras-chave:

Obras contra a seca. Revegetação do Semiárido nordestino. Semiárido brasileiro. Transposição do rio São Francisco. Distribuição populacional brasileira.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre as obras que são adotadas para o combate às secas da região Nordeste do Brasil. Deriva da tese de doutorado “Habitar o Sertão”, (AMORIM, 2001), desenvolvida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, sob a orientação do Professor Dr. Sylvio Sawaya. Traz duas abordagens. A primeira chama a atenção para as formas pelas quais se dá a distribuição da população brasileira. Longe de esgotar o assunto, seu cerne questiona o modo vetorial de se planejar o crescimento econômico sobre o território nacional. A segunda abordagem, a que este artigo dedica maior ênfase, busca refletir sobre uma forma possível de gerir a água no Semiárido nordestino, e de como esta forma poderá gerar riqueza material, por meio de conquistas técnicas e humanas. Para tanto, chama a atenção para os princípios que regem os dispositivos técnicos e espaciais adotados no Projeto Habitar o Sertão. O objetivo do artigo é propor uma possível correção de rota na política de condução das águas no Semiárido brasileiro, assim como refletir sobre as possíveis consequências dessa decisão na redistribuição populacional no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anália M. M. C. Amorim

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP). Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Atualmente é professora da Escola da Cidade e da FAUUSP. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Planejamento e Projetos da Edificação, atuando principalmente nos seguintes temas: Arquitetura, Urbanismo,projeto arquitetônico, desenho urbano e ensino. Desde 1996, é presidente da Associação Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, mantenedora do Núcleo Escola da Cidade e demais Núcleos.

Referências

AB’SABER, Aziz Nacib. Depressões Periféricas e Depressões Semi-Áridas no Nordeste do Brasil. Boletim Paulista de Geografia, n. 22. São Paulo, 1956. p. 3 – 18.

AB’SABER, Aziz Nacib. Espaços ocupados pela expansão dos climas secos na América do Sul, por ocasião dos Períodos Glaciais Quaternários. In: Paleoclimas, n. 3, São Paulo, IGEO, USP, p. 1-19, 1977. [Traduzido para o inglês: Spaces occupied by the expansion of dry climates in South America during the Quaternary ice ages. Revista do Instituto Geológico, v. 21, n. 1-2, p. 71-78, 2000.]

AB’SABER, Aziz Nacib. O domínio morfoclimático semi-árido das Caatingas Brasileiras. In: Geomorfologia, n. 43, São Paulo: Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo, p. 1-39, 1974.

AB’SABER, Aziz Nacib. Problemática da desertificação e da savanização no Brasil Intertropical. In: Geomorfologia, n. 53, São Paulo, IGEO, USP, p. 2-19, 1977.

ABID. Caracterização hidráulica e avaliação do sistema de irrigação por aspersão. Circular Técnica. n. 20. Petrolina, PE: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, vinculada ao Ministério da Agricultura; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA; Apoio: Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco – CODEVAS, fevereiro, 1989. 580 p.

AMORIM NETO, Malaquias da S. Estimativa da evapotranspiração potencial. Comunicado Técnico n. 31. Petrolina, PE: EMBRAPA - CPATSA, 1989. 17 p.

AMORIM, A. M. M. C. Habitar o Sertão. Resumo. 180 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Orientação: Sylvio Sawaya. São Paulo, 2001.

ANDRADE, Gilberto O. de. A Serra Negra – uma relíquia geomórfica e higrófita nos tabuleiros pernambucanos. Recife: Imprensa Oficial, 1954. 42 p.

ANDRADE, Manuel Correia de. A terra e o homem no Nordeste - contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 5 ed. São Paulo: Editora Atlas, 1986. 278 p.

ANDRADE, Manuel Correia de. Comércio internacional e ocupação do território no Brasil – 1930/1972. Coleção Mossoroense, Série A, n. 33, Recife, 1990. 209 p.

ANDRADE, Manuel Correia de. Estado, capital e industrialização do Nordeste. Rio de Janeiro: Zahar, 1981. 101 p.

ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia, região e desenvolvimento – introdução ao estudo do “Aménagement du Territoire”. 3 ed. Recife, PE: Universidade Federal de Pernambuco. Editora Universitária, 1977. 95 p.

BACZKO, Malgorzata et al. Techniques douces, habitat et société. Paris: Editions Entente. 1977. 164 p.

BERNAT, C.; COURCIER, R. SABOURIN, E. A cisterna de placas: técnica de construção. SUDENE/ Programme Solidarité Eau / UPPA Utilização Produtiva de Pequenos Açudes. 1993. 74 p.

BERNAT, Claire. Práticas de abastecimento de água. Pintadas - BA: Programme Solidarité Eau; AS-PTA–Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, 1992. 57 p.

BERTONI, José; LOMBARDI; N. Francisco. Conservação do solo. Coleção Brasil Agrícola. 3 ed. São Paulo: Ícone, 1990. 355 p.

BLOCH, Didier. Seca 98: retrato de uma calamidade anunciada - Recife, PE: OXFAM – UNICEF, 1998. 32 p.

BRITO, L. T. de L.; SILVA, A. de S.; MACIEL, J. L.; MONTEIRO, M. A. R. de. Barragem subterrânea I: construção e manejo. Petrolina, PE: EMBRAPA - CPATSA, 1989. 38 p.

BRITO, Luiza T. de L.; SILVA, Aderaldo de; MACIEL, José L.; MONTEIRO, Marco A. R. Barragem subterrânea I: construção e manejo. Boletim de Pesquisa. n. 36. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA vinculada ao Ministério da Agricultura; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA; Programa de Apoio ao Pequeno Produtor Rural – PAPP; SUDENE; p. 5- 38, Petrolina, PE. Abril, 1989.

BUDOVSKI, Geraldo. Sistemas agro-silvo-pastoriles en los tropicos humedos. Turialba, Costa Rica: Bib. Orton IICA / CATIE, 1965. 29 p.

CAATINGA - Centro de assessoria e apoio aos trabalhadores e instituições não governamentais alternativas. Como fazer um barreiro de trincheira. n. 5. Ouricuri, PE: Zarabatana, 1993. 16 p.

CAATINGA. Como fazer forma para suporte de solo-cimento para colméias. n. 3. Ouricuri – PE: CTAO- Centro de Tecnologias Alternativas de Ouricuri, s/d. 12 p.

CAATINGA. Como fazer suporte de solo-cimento para colméias. n. 4. Ouricuri – PE: CTAO - Centro de Tecnologias Alternativas de Ouricuri, s/d. 16 p.

CAATINGA. Relatório de atividades – período: julho a dezembro / 94. Ouricuri – PE, jul., 1995. 22 p.

CAATINGA. Tirando umidade do pó – pesquisa de tratamentos populares de água. CTAO - Centro de Tecnologias Alternativas de Ouricuri, Ouricuri – PE, jun., 1992. 9 p.

CAATINGA. Trincheira da resistência – pesquisando um modelo alternativo de barreiro. CTAO - Centro de Tecnologias Alternativas de Ouricuri, Ouricuri – PE, jun., 1992. 34 p.

CARVALHO, I. M. M. de. O Nordeste e o regime autoritário – discurso e prática do planejamento regional. São Paulo: Hucitec, 1987. 359 p.

CARVALHO, Otamar de. O impacto social da seca no Nordeste. Palestra proferida em 7 de março de 1994, na Conferência Nacional e Seminário Latino-Americano da Desertificação, realizados em Fortaleza - CE, no período de 7 a 10 de março de 1994. Organização: Grupo Esquel Brasil. Patrocínio: PNUD, Governo do Estado do Ceará e Banco Nordeste do Brasil.

CAVALCANTI, Clóvis (Org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez, 1995. 432 p.

CHILCOTE, Ronald H. Transição capitalista e a classe dominante no Nordeste. Coleção Coroa Vermelha (Estudos Brasileiros), v. 19. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; T. A. Queiroz, 1990. 368 p.

COIMBRA - FILHO, Adelmar F.; CÂMARA, Ibsen de Gusmão. Os limites originais do Bioma Mata Atlântica na Região Nordeste do Brasil. Rio de Janeiro: FBCN, 1996. 86 p.

CONTI, José Bueno. Desertificação nos Trópicos: proposta de metodologia de estudo aplicada ao Nordeste Brasileiro. 290 f. Tese (Livre Docência) - Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 1995.

CORDEIRO, Gilberto G. Aspectos gerais sobre salinidade em áreas irrigadas: origem, diagnóstico e recuperação. Documentos. n. 50. Petrolina, PE: EMBRAPA - CPATSA, agosto, 1988. 16 p.

DUPRIEZ, Hugues; LEENER, Philippe de. Os caminhos da água – escoamento, irrigação, drenagem –manual tropical. Quinta Parte: A água superficial. Curso organizado pelo CLADES / AS- PTA. Petrolina, PE, s/d.

DUQUE, João Guimarães. Solo e água no Polígono das Secas. 4 ed. Salvador: Ministério da Viação e Obras Públicas; Departamento Nacional de Obras Contra as Secas; ABC Gráfica Offset, 1973. 223 p.

DUQUE, José Guimarães. O Nordeste e as Lavouras Xerófilas. 2 ed. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 1973. 238 p.

ECKHOLM, Erik; BROWN, Lester R. The spreading deserts ...the shrinking forests. Desertification: a global problem/droughts are inevitable/food prospects in desert lands/social causes and social solutions. Revista Focus, v. 28. n. 1. p. 1–11. American Geographical Society, Nova York, set. /out, 1977.

EHLERS, Eduardo. Agricultura sustentável – origens e perspectivas de um novo paradigma. São Paulo: Livros da Terra, 1996. 157 p.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Zoneamento agroecológico do Nordeste: diagnóstico do quadro natural e agrossocioeconômico. Documentos. n. 80. v. 1 e 2. Petrolina, PE: Ministério da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido - CPATSA; Centro Nacional de Pesquisa de Solos - CNPS – Coordenadoria Regional do Nordeste. Convênio: EMBRAPA – CPATSA / ORSTOM - CIRAD, Novembro 1993, p. 11-81.

FARIA, Clementino M. B. de. Amostragem de solo para análise de fertilidade. Comunicado Técnico, 48. EMBRAPA - CPATSA, Petrolina, PE. Junho, 1992. 2 p.

FARIA, Clementino M. B. de. Práticas que favorecem a capacidade produtiva do solo na agricultura de sequeiro do Semi-Árido brasileiro. Circular Técnica, n. 28. Petrolina, PE: Ministério da Agricultura e Reforma Agrária - MARA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA, 1992. 30 p.

GEORGE, Pierre. Geografia agrícola do mundo. 6 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991. 122 p. 10 Sobre os biomas nordestinos:

GOLFARI, Lamberto; CASER, Roberto. Zoneamento ecológico da Região Nordeste para experimentação florestal. Projeto de Desenvolvimento e Pesquisa Florestal - PRODEPEF. Série Técnica n. 10. Belo Horizonte, MG: Centro de Pesquisa Florestal da Região do Cerrado. PNUD / FAO /IBDF / BRA-45, 1977. 116 p.

GRAZIANO NETO, Francisco. Qual reforma agrária? – terra, pobreza e cidadania. São Paulo: Geração Editorial, 1996. 115 p.

LEBEAU, R. Les grands types de structures agraires dans le monde. Coleção Initiation aux Études de Géographie. Paris, França: Masson et Cie. Éditeurs, 1969. 182 p.

LEVINE, R. M. O sertão prometido – O massacre de Canudos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1995. 392 p.

MAGALHÃES, Nancy A. Marcas da terra, marcas na terra: um estudo da terra como patrimônio cultural e histórico. 467 f. Tese (Doutorado) - História Social, Departamento de História da FFLCH –USP, São Paulo, 1996.

MARA - Ministério da Agricultura e da Reforma Agrária. Atlas do Meio Ambiente do Brasil. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA; Serviço de Produção de Informação - SPI; Editora Terra Viva; Fundação Banco do Brasil, 1994. 138 p.

MARA - Ministério da Agricultura e da Reforma Agrária. Atlas do Meio Ambiente do Brasil. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA; Serviço de Produção de Informação - SPI; Editora Terra Viva; Fundação Banco do Brasil, 1994. 138 p.

MELO, Mário L. de. A Serra Negra, uma ‘ilha’ da Caatinga. Anais. Associação dos Geógrafos Brasileiros. n. 7 (1), p. 132 – 170, 1955.

MENDES, B. V. Alternativas tecnológicas para a agropecuária do Semi-Árido. 2 ed. São Paulo: Livraria Nobel, 1986. 171 p.

MINISTÉRIO DO INTERIOR. Aspectos do quadro social do Nordeste. Recife: Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste; Superintendência Adjunta do Planejamento; Coordenação de Planejamento Regional; Divisão dos Estudos e Diagnósticos, 2 ed., p. 59-141, 1985.

NIMER, Edmon. Subsídio ao Plano de Ação Mundial para combater a desertificação. Rio de Janeiro: Superintendência de Recursos Naturais e Meio Ambiente – SUPREN / IBGE, p. 7-40, 1980.

O sertão do sertão. Revista Goodyear. São Paulo, abril /maio/jun., 1990. 5 p.

OLIVEIRA, A. M. dos Santos; LEITE, C. A. G. Tecnologias simples para aproveitamentos de pequeno porte dos recursos hídricos do Semi-Árido nordestino. Artigo Técnico 14. ABGE – Associação Brasileira de Geologia de Engenharia, São Paulo, SP. 1987. 91 p.

OLIVEIRA, A. U. de. Modo capitalista de produção e agricultura. 3 ed. Série Princípios. v. 68. São Paulo: Ática, 1990. 88 p.

PAGE, Joseph A. A revolução que nunca houve – o Nordeste do Brasil 1955-1964. Rio de Janeiro: Editora Record, 1972. 315 p.

PASTORE, José. Desigualdade e mobilidade social no Brasil. Série 1a – Estudos Brasileiros, v. 1. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; T. A. Queiroz, 1979. 217 p.

PIERSON, Donald. O homem no vale do São Francisco. 3 volumes. Rio de Janeiro: Ministério do Interior. Superintendência do Vale do São Francisco (SUVALE), 1972. 1.726 p.

PINTO, José Maria; SOARES, José Monteiro; NASCIMENTO, Tarcísio. Análise de coeficientes de uniformidade de distribuição de água em sistema de irrigação localizada. Boletim de Pesquisa. n. 41. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA vinculada ao Ministério da Agricultura e Reforma Agrária; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA; Convênio: SUDENE / EMBRAPA; Petrolina, PE; junho, 1991. 24 p.

PORTELA, Fernando; ANDRADE, Joaquim C. de. Secas no Nordeste. Série Viagem pela Geografia. 11 ed. São Paulo: Ática, 1995. 72 p.

QUEIROZ, M. V. de. Messianismo e conflito social – a guerra sertaneja do contestado: 1912 1916. Ensaios 23. 3 ed. São Paulo: Editora Ática, 1981. 325 p.

REDE GLOBO. Reportagem do Jornal Nacional do final do ano de 2013, início do ano 2014. Recife.

SALAZAR, Carlos R. V. Drenagem agrícola: relações na produção e procedimentos de diagnóstico. Documentos. n. 53. Ministério da Agricultura - MA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA; Petrolina, PE. Agosto, 1988. 33 p.

SALAZAR, Carlos R. V.; FÉLIX, Sandoval Gonçalves; CORDEIRO, Gilberto G. Avaliação econômica da recuperação de solossalinos no perímetro irrigado de Vaza-Barris – Cocorobó, BA. Documentos. n. 48 EMBRAPA - CPATSA, Petrolina, PE. Março, 1988. p. 1 -16.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo – globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: HUCITEC, 1994. 176 p.

SCHAMA, Simon. Paisagem e memória. São Paulo; Companhia das Letras, 1996. 645 p.

SILVA, A. de S.; BRITO, L. T.de L.; ROCHA, H. M. Captação e conservação de água de chuva no Semiárido brasileiro. Circular Técnica, n. 16. Petrolina – PE: EMBRAPA - CPATSA, MINTER / SUDENE, 1988. 79 p.

SILVA, A. de S.; PORTO, E. R.; GOMES, P. C. F. Seleção de áreas e construção de barreiros para uso de irrigação de salvação no trópico Semi-Árido. Circular Técnica, n. 3. Petrolina – PE: EMBRAPA - CPATSA, 1981. 43 p.

SILVA, Aderaldo de Souza; PORTO, Everaldo Rocha; BRITO, Luiza Teixeira de Lima; MONTEIRO, Marco Almiro Resende. Captação de água de chuva “in-situ”: comparação de métodos e densidade de plantio. Boletim de Pesquisa. n. 35. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária EMBRAPA vinculada ao Ministério da Agricultura; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido–CPATSA; Programa de Apoio ao Pequeno Produtor Rural – PAPP; SUDENE; Petrolina, PE. Abril, 1989.

SILVA, L. O. Terras devolutas e latifúndio – efeitos da lei de 1850. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996. 373 p.

SOARES, J. M. Sistemas de irrigação por mangueiras. Petrolina-PE: EMBRAPA - CPATSA, 1986. 38 p.

SOARES, J. M.; PINTO, J. M.; MAGALHÃES, A. A. de. Caracterização hidráulica e avaliação do sistema de irrigação por aspersão. EMBRAPA - CPATSA. Circular Técnica n. 20, 1989, 77 p.

SOUZA, M. J. N. et al. Condições Geo-Ambientais do Semi-Árido Brasileiro. Notas e Comunicações de Geografia. Série B. Textos Didáticos, n. 15. Recife: Departamento de Ciências Geográficas, Universidade de Pernambuco, julho de 1996. p. 173 -198.

SZMRECSÁNYI, Tamás. Pequena história da agricultura no Brasil. Coleção Repensando a História. São Paulo: Editora Contexto, 1990. 102 p.

TIGRE, Carlos Bastos. Porque reflorestamento no Polígono das Secas. Fortaleza, CE: Ministério do Interior, Departamento Nacional de Obras Contra as Sêcas, 1970. 146 p.

TIGRE, Carlos Bastos. Silvicultura para as Matas Xerófilas – defesa dos recursos naturais renováveis. 2 ed. Fortaleza, CE: Yale, 1970. 176 p.

VALDIVIESO SALAZAR, C. R; CORDEIRO, G. G. Perspectivas do uso das águas subterrâneas do embasamento cristalino no nordeste Semi-Árido do Brasil. Documentos. n. 39. Ministério da Agricultura - MA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA; Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido – CPATSA; Petrolina, PE. Novembro, 1989. 40 p.

VASCONCELOS SOBRINHO, J. As regiões naturais do Nordeste, o meio e a civilização. Recife: Conselho do Desenvolvimento de Pernambuco – CONDEPE, 1971. 441 p.

Publicado

2015-06-02

Como Citar

Amorim, A. M. M. C. (2015). Por quem os rios secam?. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 22(37), 102-115. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v22i37p102-115

Edição

Seção

Artigos