Espaços de consenso – propaganda, política e arquitetura nas exposições nacionais getulistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfauusp.2022.161012

Palavras-chave:

Exposições Nacionais, Fascismo, Estado Novo, Política

Resumo

O presente trabalho tem por meta apresentar duas exposições nacionais promovidas pelo Estado Novo Brasileiro (1937-45): A Exposição Nacional do Estado Novo (RJ-1938) e a Grande Exposição Nacional de Pernambuco (PE-1939). Tomando por base a primeira edição da Mostra della Rivoluzione Fascista (1932), o artigo almeja evidenciar como as mostras nacionais getulistas O presente trabalho tem por meta apresentar duas exposições nacionais promovidas pelo Estado Novo Brasileiro (1937-45): A Exposição Nacional do Estado Novo (RJ-1938) e a Grande Exposição Nacional de Pernambuco (PE-1939). Tomando por base a primeira edição da Mostra della Rivoluzione Fascista (1932), o artigo almeja evidenciar como as mostras nacionais getulistas apresentavam similaridades discursivas e programáticas com a exposição fascista e como esses eventos foram planejados e executados para a criação de espaço de consenso político e ideológico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AL ASSAL, Marianna Ramos Boghosian. Arenas não tão pacíficas: arquitetura e projetos políticos em Exposições Universais de finais da década de 1930. 2014. 138 p. Tese (Doutorado em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo: Antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. São Paulo: Companhia de bolso, 2017.

BARBUY, Heloisa. A exposição universal de 1889 em Paris. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

BELLO, Rita de Cássia Guaraná. Revisitando o Estado Novo, através das imagens da Grande Exposição Nacional de Pernambuco 1939-1940. 2006. 121 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2006.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. Porto Alegre: Zouk, 2012.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. Multidões em cenapropaganda política no Varguismo e no Peronismo. São Paulo: editora UNESP, 2008.

COHEN, Jean Louis. Prefácio. In: DEVOS, Rika. (Ed.) et al. Architecture of great expositions 1937-1959: Message of peace, images of war. Manchester: Ashgate, 2015. p. XXIII-XVII.

GENTILE, Emilio. Fascismo di Pietra. Bari: Laterza & Figli, 2007.

GENTILE, Emilio. Il culto del Littorio. Bari: Laterza & Figli, 2015.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. (Org.). Classicismo, Realismo, Vanguarda: Pintura Italiana no Entreguerras. São Paulo, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, 2013.

OLIVEIRA, Lippi Lúcia; VELLOSO, Pimenta Mônica; GOMES, Castro Ângela Maria Castro. Estado Novo- Ideologia e Poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

SAMPAIO, Gustavo de Almeida. Tradição e modernidade – o Novecento em São Paulo. 2017. 305 p. Dissertação (Mestrado em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

SCHWARTZMAN, Simon. (et al). Tempos de Capanema. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

SEGAWA, Hugo. Cenário de Modernidade: A Feira Internacional de Amostras do Rio de Janeiro. In: 13° DOCOMOMO, 2019. Salvador, 2019.

Downloads

Publicado

2022-09-20

Como Citar

Sampaio, G. de A. (2022). Espaços de consenso – propaganda, política e arquitetura nas exposições nacionais getulistas. PosFAUUSP, 29(55), e161012. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfauusp.2022.161012

Edição

Seção

Artigos