Andar a pé em São Paulo: uma investigação sobre a mobilidade a pé e a fruição da cidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfauusp.2021.173808

Palavras-chave:

Caminhabilidade, Pedestres em São Paulo, Andar a pé em São Paulo, Mobilidade a pé

Resumo

Em São Paulo, o ato de andar a pé embute um paradoxo: apesar de as viagens a pé serem o meio mais usado de deslocamento, as condições urbanas apresentam um quadro bastante desafiador para o pedestre — infraestrutura de caminhabilidade pouco adequada, travessias arriscadas e insegurança na relação com os veículos motorizados. O objetivo deste artigo é investigar o andar a pé a partir da perspectiva do pedestre para compreender se a experiência de mobilidade (andar para chegar a algum lugar) também pode vir acompanhada de uma experiência estética — a da fruição da cidade. Metodologicamente, foi usada uma abordagem qualitativa, por meio da técnica de grupos focais, realizada no contexto da tese de doutoramento do autor, com uma amostra de pessoas que se deslocam cotidianamente a pé pela cidade. Os resultados mostram que, dadas condições mínimas de segurança e infraestrutura, existe um componente muito presente de fruição da cidade inerente ao ato de andar a pé, manifestado no prazer sensorial, nas pequenas surpresas e na constatação de que o caminhar permite “experimentar a cidade”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Sérgio Procópio Calliari, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Administrador de Empresas, com MBA na SDA Bocconi, Milão. Mestre em Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com foco em Espaços Públicos. Doutorando na FAU-USP, com concentração na área de História do Urbanismo. Autor do Blog Caminhadas Urbanas, no Estadão.com

Referências

ANELLI, Renato Luiz Sobral. Redes de Mobilidade e Urbanismo em São Paulo. Das radiais/perimetrais do Plano de Avenidas à malha direcional PUB. Arquitextos, São Paulo, ano 07, n. 082.00, Vitruvius, mar. 2007. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/07.082/259.

CALLIARI, Mauro. O pedestre e a cidade: mobilidade e fruição em São Paulo. Tese de doutoramento. São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, 2019.

GEHL, Jan. Cities for People. Londres: Island Press, 2010.

GONDIM, Sônia M. Guedes. Grupos Focais como técnica de investigação qualitativa: desafios metodológicos. Revista Paidéia da USP de Ribeirão Preto, volume 12, número 24, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/paideia/v12n24/04.pdf.

GREGORI, Márcia Sandoval. Mobilidade, imaginário e representação na cidade de São Paulo (1968-2015); materialidades e ações no território do Butantã. Tese de doutoramento. São Paulo, Mackenzie, 2018.

GROSTEIN, Marta Dora. “Periferias: loteamentos ilegais e formas de crescimento urbano”, in São Paulo: Metrópole em trânsito: percursos urbanos e culturais. Cândido Malta Campos, Lucia Helena Gama, Vladimir Sacchetta (organizadores). São Paulo, Editora Senac, 2004.

JACOBS, Jane. Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

MALATESTA, Maria Ermelina Brosch. A iniquidade do ambiente urbano paulistano para a mobilidade a pé e a ocorrência endêmica dos acidentes e atropelamentos. Site da ANTP. 18/05/2015.

MEYER, Regina M. P. O Papel da Rua na Urbanização Paulistana. Caderno de História de São Paulo: A cidade e a rua. São Paulo, Museu Paulista da Universidade de São Paulo, n.2, p.13-23, janeiro – dezembro 1993.

PARK, Sungjin. Measuring, and Evaluating Path Walkability, and Testing Its Impacts on Transit Users’ Mode Choice and Walking Distance to the Station. Tese de Doutoramento, UC Berkeley, 2008. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/0ct7c30p. Author Park, Sungjin Publication.

PLANMOB/2015. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/planmobsp_v072__1455546429.pdf. Pesquisa OD do Metrô, disponível em http://www.metro.sp.gov.br/pesquisa-od/

ROLNIK, Raquel. A cidade e a lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo: Studio Nobel e Fapesp, 1999.

SPECK, Jeff. Walkable City — How downtown can save America, one step at a time. Nova Iorque: Editora: Farrar, Straus and Giroux, 2012.

YOUGOV. Pesquisa de assedio em espaços urbanos. 2019. Disponível em: http://actionaid.org.br/na_midia/em-pesquisa-da-actionaid-86-das-brasileiras-ouvidas-dizem-ja-ter-sofrido-assedio-em-espacos-urbanos/.

VASCONCELLOS, Eduardo Alcântara de. Circular é preciso, viver não é preciso. A história do Trânsito na cidade de São Paulo. São Paulo: Annablume: Fapesp, 1999

Publicado

2021-12-06

Como Citar

Calliari, M. S. P. (2021). Andar a pé em São Paulo: uma investigação sobre a mobilidade a pé e a fruição da cidade. PosFAUUSP, 28(53), e173808. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.posfauusp.2021.173808

Edição

Seção

Artigos