Transição entre interior e exterior de edifícios com térreo livre em São Paulo e Nova Iorque

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.psrevprogramapsgradarquiturbanfauusp.2021.176121

Palavras-chave:

Galerias, Pórticos, Espaços de transição, São Paulo, Nova Iorque

Resumo

O trabalho compara a legislação urbanística e sua espacialização em edifícios com térreo livre, para São Paulo, Brasil, e Nova Iorque, EUA, em períodos concomitantes. A partir de 1930, com o Plano de Avenidas de Prestes Maia, obras viárias em São Paulo impulsionaram a produção imobiliária no centro novo, construindo-se edifícios com galerias ou com programas multifuncionais com uso comercial nos térreos livres. A contrapartida do poder público à verticalização dos edifícios desejada pelo mercado imobiliário foi a legislação estudada. Esse modelo alastrou-se nas áreas da Paulista e Faria Lima. No caso de Nova Iorque, após 1960, sobretudo no Downtown e no Midtown, a legislação incentivou a construção de áreas de transição entre espaços públicos e privados, inicialmente como áreas abertas denominadas plazas ou cobertas denominadas arcades. A comparação mostra que, em Nova Iorque, há quantidade considerável desses espaços, que não se articulam com intervenções urbanísticas viárias, enquanto em São Paulo, as obras viárias serviram para produção de certo número de passagens e galerias. Em ambos os casos os benefícios à permeabilidade e à conectividade do tecido urbano são relevantes

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elena Salvi, Universidade Paulista

Coordenadora Geral dos Cursos de Arquitetura e Urbanismo e dos Cursos Superiores de Tecnologia em Design de Interiores da Universidade Paulista. Professora e pesquisadora de Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo, História da Arte e Estética da Universidade Paulista e da Universidade Católica de Santos (1987/1993 e 1994/2020). Foi professora de Estética nos Cursos de Música e Filosofia na Universidade Católica de Santos. Participou do projeto para o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Santos (2015 a 2020). Professora Doutora, Mestre e Graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.

Ricardo de Almeida, Universidade Paulista

Titular do escritório RDA Arquitetura e Serviços desde 2011. Coordenador de Implantação para construção do Estaleiro Atlântico Sul e Analista de Planejamento de 12 navios Petroleiros e da Plataforma P-55 da Petrobrás/Transpetro no porto de Suape-PE, de 2008 a 2011. Trabalhou como Coordenador de Projetos na Construtora Camargo Corrêa em 2008 – Diretoria de Energia, Obra Eclusas de Tucuruí-PA. Estagiário e arquiteto de projetos na Aflalo & Gasperini Arquitetos de 2001 a 2007. Professor do Curso Técnico de Edificações em Recife de 2012 a 2016. Participou da equipe do Arq e Urb Ruben Otero premiada em terceiro lugar pelo Projeto CODHAB para núcleo urbano em Ceilândia-DF em 2018. Premiação IAB SP – 2019, primeiro lugar pelo mesmo projeto e equipe.  Mestrando do Programa de Mestrado Profissional do IPT-Instituto de Pesquisas Tecnológicas, departamento de Habitação. Projeto de Iniciação Científica em 2003: Arquitetura Paulistana nas décadas de 1940 e 1950 – Identidade, Convivência e Permanência. Arquiteto e Urbanista em 2005 pela Universidade Paulista – UNIP.

Referências

ALEIXO, C. A. P. Edifícios e galeriais comerciais: arquitetura e comércio na cidade de São Paulo, anos 50 e 60. Escola de Engenharia da USP, Dissertação de Mestrado, São Carlos, 2005.

BACON, E. N. Design of cities. New York: Penguin Books, 1976.

BENJAMIN, W. Angelus Novus. Saggi e frammenti. Turim: Einaudi, 1962.

BRAUN, Adee. Midtown arcades: 61/2 Avenue and other POPS in NYC. Untapped New York. 28 fev. 2013. Disponível em: http://untappedcities.com/2013/02/28/midtown-arcades-pops. Acesso em: 22 ago. 2020.

COSTA, S. S. F. Continuidade e permeabilidade urbana nos arranha-céus modernos no centro de São Paulo. In: Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP. 19(31), (82-97). São Paulo: FAU USP, 2012.

FELDMAN, S. O zoneamento ocupa o lugar do plano: São Paulo, 1947-1961. Recife: ANPUR, 1997.

GEIST, J. F. Arcades. The history of a building type. Cambridge: MIT Press, 1983.

KAYDEN, J. S. Private owned public space: the New York City experience. Nova Iorque: The New York City Department of City Planning, 2000.

LIMA, R. P. Plugin: interfaces urbanas en los nuevos centros lineares – el caso de la Avenida Paulista. Tese de doutorado. Barcelona: UPC/ ETSAB/ DUOT, 2016.

MORRIS, A. E. J. Historia de la forma urbana, desde sus origenes hasta la Revolución Industrial. Barcelona: Gustavo Gili, 2013.

NEW YORK (City). Privately owned public spaces. New York: Department of City Planning, 2014. Disponível em: https://www1.nyc.gov/site/planning/zoning/districts-tools/private-owned-public-spaces.page. Acesso em: 16 mai. 2020.

NEW YORK (City). New York City zoning resolution. Articles I-XIV and Appendices. New York: Department of City Planning, 1961. Disponível em: https://zr.planning.nyc.gov/.Acesso em: 16 mai. 2020.

RUDOFSKY, B. Streets for people. A primer for Americans. Nova Iorque: Anchor Press, Doubleday Garden City, 1969.

SÃO PAULO (Município). Lei nº 5114, de 28 de fevereiro de 1957. Obriga a construção de galerias nas edificações que se fizerem nos lotes lindeiros às Ruas Direita, São Bento, 24 de Maio e 7 de Abril e dá outras providências. Disponível em: http://leismunicipa.is/athcg. Acesso em 21 ago. 2020.

SÃO PAULO (Município). Lei nº 4615, de 13 de janeiro de 1955. Regula as condições gerais das edificações. Disponível em: http://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/lei-4615-de-13-de-janeiro-de-1955/detalhe. Acesso em 21 ago. 2020.

SÃO PAULO (Município). Decreto-Lei nº 41, de 3 de agosto de 1940. Regulamenta as construções na Av. Ipiranga e dá outras providências. Disponível em: http://documentacao. saopaulo.sp.leg.br/iah/fulltext/decretoslei/DLEI0041-1940.pdf. Acesso em 21 ago. 2020.

SCHMIDT, S.; NEMETH, J.; BOTSFORD, E. The evolution of privately owned public spaces in New York City. In: Urban Design International. Vol. 16, 4, 270–284. Londres: Macmillan Publishers Ltd., 2011.

TOLEDO, B. L. de. Prestes Maia, e as origens do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.

WHYTE, W. The social life of small urban spaces. Nova Iorque: Project for Public Spaces, 1980.

Publicado

2021-06-17

Como Citar

Salvi, A. E., Carriço, J. M., & Almeida, R. de. (2021). Transição entre interior e exterior de edifícios com térreo livre em São Paulo e Nova Iorque. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, 28(52), e176121. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.psrevprogramapsgradarquiturbanfauusp.2021.176121

Edição

Seção

Artigos