"Arquitetura participativa" na visão de Giancarlo de Carlo

Autores

  • Ana Cláudia Castilho Barone Universidade Nove de Julho
  • Sylvia Adriana Dobry Universidade Nove de Julho

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i15p18-31

Palavras-chave:

Giancarlo de Carlo, arquitetura participativa, espaço urbano, alinhamento teórico em arquitetura

Resumo

A participação é um tema colocado na ordem do dia, no debate atual sobre a arquitetura e o urbanismo. O processo participativo tem sido apresentado como uma forma de enfrentar a dimensão social e política dos projetos de interesse coletivo, fazendo valer a opinião e o desejo dos usuários, com o fim de garantir maior cidadania e democracia na concepção dos espaços urbanos. O arquiteto italiano Giancarlo de Carlo, durante as décadas de 60 e 70, foi um dos pioneiros na reflexão sobre a importância da "Arquitetura Participativa" e na criação de procedimentos de trabalho que incorporassem a participação do usuário no processo de elaboração de projetos. Suas propostas e a maneira de desenvolver projetos foram passos importantes na definição de procedimentos de trabalho para o projeto participativo, exemplificados no projeto de habitação operária, em Vila Matteotti (1964-1974) ou no estudo para o desenvolvimento urbano de Urbino (1958-1976). Objetivo deste artigo é mapear as inquietações e recuperar a trajetória das reflexões e influências sobre o pensamento do arquiteto Giancarlo de Carlo, que o levaram a optar pelo projeto participativo como meio de responder aos problemas sociais e políticos envolvidos na arquitetura e no urbanismo. Sem se deixar levar por ilusões, teceu reflexões críticas sobre os processos participativos, seus limites, seus alcances, seus engodos. O tema é, particularmente, relevante, hoje, porque de Carlo volta a ser uma referência para trabalhos que pretendam envolver a participação do usuário na elaboração de projetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AYMONINO, Carlo (Ed.). L’abitazione razionale, atti dei Congressi CIAM: 1929-1930. Barcelona: Gustavo Gili, 1972.

BARONE, Ana Cláudia. Team 10, arquitetura como critica. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2002.

DE CARLO, G. Gli spirit dellárchitettura. Roma: Riuniti, 1999.

DE CARLO, G. William Morris. Milão: Il Balcone, 1947.

FRAMPTON, K. Historia crítica de la arquitectura moderna. México: Gustavo Gili, 1983.

MEYER, Hannes. El arquitecto en la lucha de classes y otros escritos. Barcelona: Gustavo Gili, 1972.

NEWMAN, O. CIAM 59 in Otterlo. Londres: Alec Tiranti Ltd., 1961.

PEVSNER, N. Pioneiros do desenho moderno, de William Morris a Walter Gropius. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

PRONSATO, Sylvia A. Dobry. Projeto participativo e criação coletiva. 2002. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

RODRIGUES, A. J. A Bauhaus e o ensino artístico. Lisboa: Presença, 1989.

RYKWERT, J. El lado oscuro de la Bauhaus. In: Controspazio, comunicacion 12, La Bauhaus. Madri: Dedalo, 1971.

THOMPSON, E. P. William Morris, romantic to revolutionary. Londres: Lawrence and Wishart, 1955.

ZEVI, B. Poética de la arquitectura neoplástica. Buenos Aires: Victor Lerú, 1953.

ZUCCHI, Benedict. Giancarlo de Carlo. Londres: Butterworth Architecture, 1992.

Downloads

Publicado

2004-06-01

Como Citar

Barone, A. C. C., & Dobry, S. A. (2004). "Arquitetura participativa" na visão de Giancarlo de Carlo. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP, (15), 18-31. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i15p18-31

Edição

Seção

Artigos