A relação entre fenômeno de ser e ser dos fenômenos: o anti-idealismo de Sartre na introdução de O Ser e o Nada

  • Matheus de Oliveira Cenachi Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Anti-idealismo, Percipi, Percipere, Fenômeno, Ser dos fenômenos

Resumo

A intenção deste artigo é mostrar de que maneira Jean-Paul Sartre depara com a hipótese do idealismo, que se revela logo na introdução de O ser e o nada, bem como suas estratégias para evitá-lo. Ao lançar mão de uma fenomenologia, Sartre sente a necessidade de se debruçar sobre uma questão já antiga, porém fundamental para o rumo de seu projeto: seria possível reduzir as coisas que aparecem às suas aparições? Tratar de
fenômenos e objetos é tratar do mesmo ser? Tendo como fim o esclarecimento dessa questão, o texto se divide em sete seções: a primeira visando uma ambientação do cenário fenomenológico no qual Sartre se insere; a segunda evidenciando uma aparente necessidade do ser dos fenômenos serem transfenomenais; a terceira focando uma falha do princípio berkeleniano, esse est percipi; a quarta voltada à função do percipere/percipiens na percepção; a quinta ilustrando a maneira com que o percipi remete ao percipiens e o impacto de tal relação; a sexta sobre a prova ontológica de Sartre; a sétima traçando algumas considerações finais e o resultado da análise.

Referências

SARTRE, J. P. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. Trad. Paulo Perdigão. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.
_____________. Situations: essais critiques. Paris: Gallimard, 1947.
GARDNER, S. Sartre’s being and nothingness: a reader’s guide. Londres: Continuum, 2009.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Cenachi, M. (2018). A relação entre fenômeno de ser e ser dos fenômenos: o anti-idealismo de Sartre na introdução de O Ser e o Nada. Primeiros Escritos, (9), 140-156. https://doi.org/10.11606/issn.2594-5920.primeirosescritos.2018.153052
Edição
Seção
Artigos