Antonio Bento e Romero Brest: o movimento abstrato como fluxo universal

Autores

  • Araceli Barros da Silva Jellmayer Bedtche Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2017.140711

Palavras-chave:

Ver y Estimar, abstracionismo, Bienais de São Paulo, Romero Brest, Antonio Bento

Resumo

Este artigo apresenta uma análise das contribuições do crítico de arte argentino, Jorge Romero Brest, para o panorama artístico brasileiro, estabelecendo aproximações políticas e culturais entre Brasil e Argentina. Enfatiza-se a importância da Revista argentina Ver y Estimar como veículo de difusão das idéias vanguardistas e a atuação de uma crítica de arte especializada no Brasil, como a de Antonio Bento de Araújo Lima e Sérgio Milliet, no processo de divulgação da arte abstrata como fluxo universal. Constituem as principais fontes utilizadas: Revista Ver y Estimar (1951) e textos críticos de Antonio Bento da década de 1950.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Araceli Barros da Silva Jellmayer Bedtche, Universidade de São Paulo

Doutora em Ciências Programa de Pós-Graduação Integração da América Latina UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Downloads

Publicado

2017-12-29

Como Citar

Bedtche, A. B. da S. J. (2017). Antonio Bento e Romero Brest: o movimento abstrato como fluxo universal. Brazilian Journal of Latin American Studies, 16(30), 167-188. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2017.140711

Edição

Seção

Artigos