Neoliberalização e dinâmicas previdenciárias recentes no Brasil e no Chile

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2021.186436

Palavras-chave:

Previdência, Neoliberalização, Capitalização, Invenção da América Latina, Pandemia

Resumo

O presente artigo enfoca o tema da previdência social e se propõe a analisar diacronicamente as principais mudanças regulatórias dos sistemas previdenciários de Brasil e Chile - casos paradigmáticos dos modelos de repartição solidária intergeracional e de capitalização plena, respectivamente. A partir do arcabouço teórico-metodológico que considera que o “neoliberalismo realmente existente” é um processo heterogêneo que deve ser analisado e comparado empiricamente, exploram-se as evidências de que o caso brasileiro tem se aproximado do modelo chileno, o qual, por sua vez, encontra-se frontalmente abalado e apontando no sentido da incorporação da perspectiva solidária que caracteriza o sistema brasileiro. Visando qualificar as interpretações sobre avanços e retrocessos da neoliberalização sobre o panorama da proteção social na América Latina, a análise busca incorporar também, ainda que de maneira exploratória, os efeitos da mais recente crise ocasionada pela pandemia por Covid 19, apontando de que forma esse contexto tem reforçado tais dinâmicas previdenciárias já em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Pernasetti, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Planejamento Urbano e Regional (Ippur/UFRJ) e membro do Grupo de Pesquisa Interinstitucional Futuros da Proteção Social (CEE Fiocruz). E-mail:nanda.pernasetti@gmail.com

Referências

ARRAIS, Tadeu Alencar; VIANA, Juheina Lacerda. Pequeno atlas da tragédia previdenciária brasileira. Goiânia: UFG, 2019.

BARRIENTOS, Armando; BOUSSOFIANE, Aziz. How efficient are pension fund managers in Chile?. Revista de Economia Contemporânea, v. 9, n. 2, p. 289-311, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rec/a/gMW7RdH6HFC4rXmdSKmF44M/?lang=en&format=pdf, acesso em: 14 set. 2021.

BOYER, Robert. A Teoria da regulação uma análise crítica. São Paulo: Nobel, volume 1, 1990.

BRANDÃO, Carlos Antônio. Crise e rodadas de neoliberalização: impactos nos espaços metropolitanos e no mundo do trabalho no Brasil. Cadernos Metrópole, v. 19, n. 38, p. 45-69, 2017. https://doi.org/10.1590/2236-9996.2017-3802

BRIL-MASCARENHAS, Tomás; MAILLET, Antoine. How to Build and Wield Business Power: The Political Economy of Pension Regulation in Chile, 1990–2018. Latin American Politics and Society, v. 61, n. 1, p. 101-125, 2019. https://doi.org/10.1017/lap.2018.61

BRUNO, Miguel; DIAWARA, Hawa; ARAÚJO, Eliane; REIS, Anna Carolina; RUBENS, Mario. Finance-Led Growth Regime no Brasil: estatuto teórico, evidências empíricas e consequências macroeconômicas. Rev. Econ. Polit. [online]. 2011, vol.31, n.5, pp.730-750. ISSN 0101-3157. https://doi.org/10.1590/S0101-31572011000500003.

BUGUEÑO ROZAS, Joaquín; MAILLET, Antoine. Entre marchas, plebiscitos e iniciativas de ley: innovación en el repertorio de estrategias del movimiento No Más AFP en Chile (2014-2018). Izquierdas, n. 48, 2019. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-50492019000400001

CEPAL, N. U. Balanço Preliminar das Economias da América Latina e do Caribe 2020. Resumo executivo. Santiago, 2021. Disponível em https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/46606/1/S2000882_pt.pdf, Acesso em: 14 set. 2021.

DA COSTA, Murilo Gomes; TANSCHEIT, Talita São Thiago. E no entanto, ela se move! As Transformações Recentes da Democracia no Chile. In: DE LIMA, Maria Regina Soares et al (orgs.), América do Sul no século XXI: desafios de um projeto político regional, Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2020.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo. Boitempo editorial, 2017.

DE CONTI, Bruno. Previ, Petros e Funcef: uma análise da alocação das carteiras das três maiores entidades brasileiras de previdência complementar (2003-2013). Texto para Discussão, 2016. Meio Digital, disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=28282, acesso em: 14 set. 2021.

DIEESE. PEC 6/2019: como ficou a Previdência depois da aprovação da reforma no Senado Federal. Nota Técnica número 214, nov. 2019. Meio digital, disponível em https://www.dieese.org.br/notatecnica/2019/notaTec214ReformaPrevidenciaAprovada.pdf, acesso em 28 jan. 2021

FAGNANI, Eduardo. Previdência: reformar para excluir. Contribuição técnica ao debate sobre a reforma da previdência social brasileira-Brasília: DIEESE/ANFIP, 2017. Disponível em: https://www.dieese.org.br/livro/2017/previdenciaSintese.pdf . Acesso em: 14 set. 2021.

FIOCRUZ. Monitora Covid-19. ICICT – Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, meio digital. Disponível em: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/, Acesso em: 13 ago 2021.

FOLHA. Covid-19 mais do que dobra auxílios do INSS por doença respiratória. 26 jan. 2021, Disponível em: https://agora.folha.uol.com.br/grana/2021/01/covid-19-mais-do-que-dobra-auxilios-do-inss-por-doenca-respiratoria.shtml, Acesso em: 31 mai 2021.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). Martins Fontes, Rio de Janeiro, 2008.

FRASER, Nancy. “Progressive Neoliberalism versus Reactionary Populism: A Hobson’s Choice.” In The Great Regression, edited by Heinrich Geiselberger, Polity Press, Cambridge, 2017, p.40-48.

GARAY, Candelaria. Social Policy Expansion in Latin America. Cambridge: Cambridge University Press, 2016. https://doi.org/10.1017/9781316585405.

GRÜN, Roberto. Fundos de pensão no Brasil do final do século XX: guerra cultural, modelos de capitalismo e os destinos das classes médias. Mana, v. 9, n. 2, p. 7 38, 2003. https://doi.org/10.1590/S0104-93132003000200001

HALL, Stuart; O'SHEA, Alan. Common-sense neoliberalism. Soundings, v. 55, n. 55, p. 9-25, 2013. Disponível em: https://indefenceofyouthwork.files.wordpress.com/2014/02/common-sense-neo-liberalism.pdf, acesso em 14 set. 2021

HARVEY, David. O “novo” imperialismo: acumulação por espoliação. Socialist register, v. 40, n. 1, p. 95-126, 2004. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/social/2004pt/05_harvey.pdf, acesso em 14 set. 2021.

HARVEY, David. O neoliberalismo. História e implicações. São Paulo: Loyola, 2005.

HEISS, Claudia. Chile: entre el estallido social y la pandemia. Análisis Carolina, n. 18, p.1, 2020. Disponível em: https://www.fundacioncarolina.es/wp-content/uploads/2020/04/AC-18.2020.pdf, acesso em: 14 set. 2021.

IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. 130 p.

ISTOÉ. “Congresso chileno inicia tramitação para terceiro saque antecipado de pensões”, 03 mar. 2021. ISTOÉ Dinheiro, meio digital. Disponível em: https://www.istoedinheiro.com.br/congresso-chileno-inicia-tramitacao-de-terceiro-saque-antecipado-de-pensoes/, acesso em: 14 ago. 2021.

JARDIM, Maria Aparecida Chaves. Domesticação" e/ou" moralização do capitalismo" no governo Lula: inclusão social via mercado e via fundos de pensão. Revista Dados, v. 52, n. 1, p. 123 159, 2009. https://doi.org/10.1590/S0011-52582009000100004

JESSOP, Bob. State theory, regulation, and autopoiesis: debates and controversies. Capital & Class, v. 25, n. 3, p. 83-92, 2001. https://doi.org/10.1177%2F030981680107500107

LEIVA, Bruno Aste. Estallido social en Chile: la persistencia de la Constitución neoliberal como problema. DPCE Online, v. 42, n. 1, 2020. Disponível em: http://www.dpceonline.it/index.php/dpceonline/article/view/885/859, Acesso em: 14 set. 2021.

LÓPEZ, Fernando. Industria de AFP chilena:¿ Cuánto gana y cuánto debería ganar?. Revista de análisis económico, v. 31, n. 2, p. 101-114, 2016. Disponível em: https://www.rae-ear.org/index.php/rae/article/view/499/585, Acesso em: 14 set. 2021.

OECD. Pension Markets in Focus, 2019. Paris, Meio digital, disponível em www.oecd.org/daf/fin/private-pensions/pensionmarketsinfocus.htm, Acesso em 13 ago. 2021.

OLIVEIRA, Suelen Carlos de; MACHADO, Cristiani Vieira; HEIN, Alex Alarcón. Reformas da Previdência Social no Chile: lições para o Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, p. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00045219

PAULANI, Leda. Acumulação e rentismo: resgatando a teoria da renda de Marx para pensar o capitalismo contemporâneo. Brazilian Journal of Political Economy, v. 36, n. 3, p. 514-535, 2016. https://doi.org/10.1590/0101-31572016v36n03a04

PECK, Jamie; THEODORE, Nik. Still neoliberalism?. South Atlantic Quarterly, v. 118, n. 2, p. 245-265, 2019. https://doi.org/10.1215/00382876-7381122

PECK, Jamie; TICKELL, Adam. Neoliberalizing space. In: Economy. Routledge, 2017. p. 475-499. https://doi.org/10.1111/1467-8330.00247

PECK, Jamie; BRENNER, Neil; THEODORE, Nik. Actually existing neoliberalism. The Sage handbook of neoliberalism, SAGE Publications (720p.), v. 1, p. 3-15, Sidney, 2018.

PERNASETTI, Fernanda. Miragens do Amanhã: Previdência e rodadas de neoliberalização no Brasil do pós-1988. Tese de Doutorado apresentada ao IPPUR/UFRJ, Rio de Janeiro, 2021.

PINTO, Eduardo Costa; PINTO, José Paulo; SALUDJIAN, Alexis; NOGUEIRA, Isabela; BALANCO, Paulo; Schonerwald, Carlos; BARUCO, Grasiela. A guerra de todos contra todos e a Lava Jato: A crise brasileira e a vitória do capitão Jair Bolsonaro. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, nº 54, set./dez. 2019. Disponível em http://www.revistasep.org.br/index.php/SEP/article/view/547. Acesso em: 28 jan. 2021.

RODRÍGUEZ K., Mauricio. Presidente de la Asociación de AFP: “Ninguna industria resiste tres cambios estructurales en tan poco tiempo: el de 2008, la AFP estatal y ahora esto.” La Tercera (Santiago), out. 2014, Disponível em https://www.latercera.com/noticia/presidente-de-la-asociacion-de-afp-ninguna-industria-resiste-tres-cambios-estructurales-en-tan-poco-tiempo-el-de-2008-la-afp-estatal-y-ahora-esto/ , acesso em 13 ago. 2021.

SPREV. Boletim Estatístico da Previdência Social (BEPS), volume 25, número 1, Ministério da Economia, Brasília, jan. 2020, 62p. Meio digital. Disponível em https://www.gov.br/previdencia/pt-br/acesso-a-informacao/dados-abertos/previdencia-social-regime-geral-inss/arquivos/beps012020-publicacao.pdf, acesso em 31 mai. 2021.

UTHOFF, Andras. Reforma al sistema de pensiones chileno. Serie Financiamiento del Desarrollo nº 240. Repositorio Cepal, Santiago, 2011. Meio digital. Disponível em http://hdl.handle.net/11362/5221, acesso em: 14 set. 2021.

UTHOFF, Andras. Chile necesita una nueva reforma previsional. In: ECHAVARRÍA, Juan José et al. La reforma pensional en Colombia. El debate pendiente. Lecciones de América Latina. Primera edición, Repositorio Institucional Banco de La República, 2019, pp. 222-245. https://doi.org/10.32468/Ebook.664-398-6

VEJA. Número de afastamento por doenças respiratórias salta 165% em 2020. 22 jan. 2021. Disponível em https://veja.abril.com.br/economia/numero-de-afastamento-por-doencas-respiratorias-salta-165-em-2020/, acesso em 31 mai. 2021.

Downloads

Publicado

2021-10-29

Como Citar

Pernasetti, F. (2021). Neoliberalização e dinâmicas previdenciárias recentes no Brasil e no Chile. Brazilian Journal of Latin American Studies, 20(40), 164-188. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2021.186436