Memórias da escuridão: caminhos da mineração de um Schindler na Bolívia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2022.192113

Palavras-chave:

Museu, Memória, Mineração, Nazismo, Holocausto

Resumo

Este artigo busca retratar através de intersecções entre narrativas escritas e imagens fotográficas, a atuação de Mauricio Hochschild - um dos barões da mineração na Bolívia - na proteção de judeus exilados e fugitivos dos horrores do nazismo alemão, entre os anos de 1938 e 1939. O museu, como espaço de construção de memórias, se constituiu como fonte para a escrita deste artigo. Tendo como embasamento teórico os pensamentos de autores como Silveira; Filho (2005), Bosi (1987;1994), Didi-Huberman (2010), Pollak (1992), Palma (2015) entre outros, nos propusemos a tecer diálogos objetivando construir novos sentidos a uma história vivida, entre tantas outras, em espaços de completa escuridão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carla Barros Sobreira , Universidade Estadual de Campinas

 Doutoranda em Linguística Aplicada-IEL-UNICAMP. E-mail: anacarlabarrossobreira@gmail.com

Referências

A LISTA de Schindler. Steven Spielberg (Diretor). EUA: Universal Pictures. 1993. (Filme). Disponível em: https://rakuten.tv/pt/movies/a-lista-de-schindler. Acesso em: 12 jan. 2022.

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands. La frontera. The new mestiza. São Francisco (USA): Aunt Lute Books. 2007.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes. 1988.

BENJAMIN, Walter. Pequena história da fotografia. In. BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. (Trad. Sérgio Paulo Rouanet). São Paulo: Brasiliense. 1993. pp. 165-196.

BHABHA, Homi. Nation and narration. Londres: Routledge. 1990.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG. 1998.

BIEBER, León. La sociedad de protección a los inmigrantes israelitas: su aporte a la integración económica de judíos en Bolivia. 1939-1945. Latin Studies Association. v. 34. n.2. p. 152-178. 1999. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/2503916. Acesso em: 16 out. 2021.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade. Lembranças de Velhos. 2ª Edição. T.A. Queiroz. São Paulo: EdUSP. 1987.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 3ª Edição. São Paulo: Companhia das Letras.1994.

CAETANO, Mariana Gomes. Bordas do corpo, fronteiras do mundo: notas sobre o feminismo fronteiriço. In. LOPES, Adriana; FACINA, Adriana; SILVA, Daniel (Org.) Nó em pingo d'água - Sobrevivência, cultura e Linguagem. Rio de Janeiro: Mórula Editorial. 2019.

CLIFFORD, James. Museus como zonas de contato. Periódico Permanente. n.6. fev. 2016.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. (Trad. Paulo Neves). São Paulo: Editora 34. 2010.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. (Trad.Vera Ribeiro). Rio de Janeiro: Contraponto. 2013.

DUSSEL, Enrique. 20 Tesis de política. México: CREFAL/Siglo XXI. 2006.

GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In. GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. (Trad. F. Carotti). São Paulo: Companhia das Letras. 1989. p. 143-179.

HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. (Trad. Rosaura Eichenberg). São Paulo: Companhia das Letras. 2009.

LEÓN, Christian. Imagens, mídia e telecolonialidade: rumo a uma crítica decolonial dos estudos visuais Epistemologias do Sul. v.3. n.1. 2019. pp. 58-73. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/epistemologiasdosul/article/view/2437. Acesso 7 abril 2022.

LORINI, Irma. Los nazis en Bolivia: sus militantes y simpatizantes 1929-1945. La Paz: Editorial Plural. 2016.

MALDONADO-TORRES, Nelson Maldonado. On the Coloniality of Being: contributions to the development of a concept. Estudos Culturais. v. 21, n. 2-3, 2007. pp. 240-270. DOI 10.1080/09502380601162548.

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina. La herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Gedisa, 2007.

MORO, Javier. Presentación. In: ORMACHEA, Verónica. Los Infames. 1er edición. Madrid: Liber Factory/ Lord Byron. 2017.

ORMACHEA, Verónica. Los Infames. 1er edición. Madrid: Liber Factory/ Lord Byron. 2017.

PALMA, Daniela. A Cidade que nos olha: imagem e vestígios nos noturnos de Cássio Vasconcellos [online]. Galáxia. n. 29, pp. 23-236. 2015. Disponível em https://www.redalyc.org/pdf/3996/399641255017.pdf. Acesso em 7 abril 2022.

POLLAK, Michel. Memória e identidade social. Estudos Históricos. v.5 n. 10, 1992, pp. 200-212

QUIJANO, Aníbal. A colonialidade do saber: eurocentrismo e Ciências Sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO. 2005.

SANTOS, Boaventura de Souza. A Gramática do Tempo: para uma nova cultura política. 2ª Edição. v. 4. São Paulo: Editora Cortez. 2008.

SILVEIRA, Flávio Leonel Abreu da; FILHO, Manuel Ferreira Lima. Por uma Antropologia do objeto documental: entre a "alma das coisas" e a coisificação do objeto. Horizontes Antropológicos. ano 11, n. 23. jan/jun 2005. pp.37-50.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. (Trad. Rubens Figueiredo). São Paulo: Companhia das Letras. 2003.

ZEBALLOS, Hernán. Mauricio Hochschild (Opinión). El Diario. 19 fev. 2021. Disponível em: https://www.pub.eldiario.net/movil/index.php?n=16&a=2021&m=02&d=19. Acesso em: 16 abril 2022.

Downloads

Publicado

2022-07-03

Como Citar

Sobreira , A. C. B. . (2022). Memórias da escuridão: caminhos da mineração de um Schindler na Bolívia. Brazilian Journal of Latin American Studies, 21(42), 86-110. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2022.192113

Edição

Seção

Artigos