O INVESTIMENTO DIRETO EXTERNO ESPANHOL NA AMÉRICA LATINA: DETERMINANTES E IMPACTOS

Autores

  • Santos Miguel Ruesga Benito Universidad Autónoma de Madrid.
  • André Moreira Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • Marcos Tadeu Lélis
  • Julimar da Silva Bichara Universidad Autónoma de Madrid.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2007.82294

Palavras-chave:

América Latina Relações Internacionais, Integração Econômica,

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar as causas e efeitos dos investimentos estrangeiros diretos
(IDE) espanhóis na América Latina. Entre o começo dos anos 1990 e 2000, foi notório o movimento de internacionalização das empresas espanholas para o espaço econômico latino-americano; representando cerca de 1/5 dos fluxos de IDE que se direcionaram para a América Latina. Esta proporção foi maior nas economias sul-americanas. Através de uma análise de dados em painel para 11 países da região no período 1993 - 2003, encontraram-se evidências de que os investimentos espanhóis que se direcionaram para a América Latina foram determinados por uma interação entre os assim-chamados push-factors – no caso, o tamanho da economia espanhola – e os pull-factors (tamanho das economias latino-americanas, abertura comercial e privatizações).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Tadeu Lélis

Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

2007-06-01

Como Citar

Benito, S. M. R., Cunha, A. M., Lélis, M. T., & Bichara, J. da S. (2007). O INVESTIMENTO DIRETO EXTERNO ESPANHOL NA AMÉRICA LATINA: DETERMINANTES E IMPACTOS. Brazilian Journal of Latin American Studies, 6(10), 149-186. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2007.82294

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)