BANCO DO SUL: A PROPOSTA, O CONTEXTO, AS INTERROGAÇÕES E OS DESAFIOS

Autores

  • Carlos Eduardo Carvalho Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
  • Allan Batista Gabriel Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
  • Carolina Silva Pedroso Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
  • Gabriel Yuji Kobayashi Kaneko Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2009.82343

Palavras-chave:

América do Sul, Relações Internacionais, Integração Econômica,

Resumo

O artigo analisa o processo de criação do Banco do Sul, desde a proposta inicial, lançada
por Venezuela e Argentina, em 2007, até a definição do capital e dos estatutos, em meados de
2009, com mais cinco países — Bolívia, Brasil, Equador, Paraguai e Uruguai. O projeto suscita muitas indagações. A diversidade de objetivos apresentados pelos presidentes foi superada com a definição do perfil de Banco de Desenvolvimento, defendido pelo Brasil, mas continuam sendo mencionados objetivos mais amplos. O enraizamento institucional da proposta é reduzido e os dois sócios principais, Brasil e Venezuela, dão sinais contraditórios sobre seu comprometimento com a proposta. Não se sabe como o Banco ganhará força com capital reduzido e mecanismo decisório difícil, dadas as diferenças políticas entre os governos. Não há referências às demais instituições financeiras regionais, apesar da semelhança de objetivos e da experiência acumulada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-01

Como Citar

Carvalho, C. E., Gabriel, A. B., Pedroso, C. S., & Kaneko, G. Y. K. (2009). BANCO DO SUL: A PROPOSTA, O CONTEXTO, AS INTERROGAÇÕES E OS DESAFIOS. Brazilian Journal of Latin American Studies, 8(15), 113-135. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2009.82343

Edição

Seção

Artigos