BONANÇA ECONÔMICA, DESENVOLVIMENTO LATINO-AMERICANO E O CASO DO CHILE

Autores

  • Juliane Caravieri Martins Gamba Programa Interunidades em Integração da América Latina. Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2013.82517

Palavras-chave:

América Latina, Política econômica.

Resumo

A industrialização substitutiva de importações (ISI) foi preconizada pelo pensamento
da CEPAL, principalmente dos anos 50, como estratégia de desenvolvimento econômico para
os países latino-americanos romperem com o subdesenvolvimento baseado na relação centro-
-periferia. Esse processo foi realizado de diferentes maneiras por esses países, implicando
em resultados diferenciados para cada um deles. No caso do Chile, houve o rompimento
precoce com a política de ISI, na década de 1970, como uma decisão de Estado, sendo
adotado um modelo de desenvolvimento fundamentado no setor primário-exportador. Na
atual conjuntura econômica internacional, em face da elevação dos preços dos produtos
primários, essa estratégia de desenvolvimento adotada pelo Chile se mostra extremamente
favorável, sobretudo ao ser conjugada com políticas econômicas anticíclicas nas áreas monetária,
fi scal e cambial. Mas, apesar do crescimento econômico, este país não conseguiu
promover a redução das desigualdades na sociedade chilena, havendo um aprofundamento
da exclusão e marginalização sociais. Então, é necessário discutir como os países latino-
-americanos irão aproveitar a bonança econômica, baseada na valorização das commodities,
porque esse processo é crucial para o próprio futuro da América Latina, sendo o Chile um
caso paradigmático para estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-01

Como Citar

Gamba, J. C. M. (2013). BONANÇA ECONÔMICA, DESENVOLVIMENTO LATINO-AMERICANO E O CASO DO CHILE. Brazilian Journal of Latin American Studies, 12(22), 59-77. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2013.82517

Edição

Seção

Artigos