POLÍTICA DE SAÚDE PARA A EPIDEMIA DA AIDS DO BRASIL E MÉXICO NO CONTEXTO DO ACORDO TRIPS

Autores

  • Julio Cesar Acosta-Navarro Instituto do Coaração. Faculdade de Medicina. Universidade de São Paulo.
  • Maria Cristina Cacciamali Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Programa Interunidades em Integração da America Latina. Universidade de São Paulo.
  • Amaury Patrick Gremaud Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Campus Ribeirão Preto); Programa Interunidades em Integração da America Latina. Universidade de São Paulo.
  • José Carvalheiro Instituto Osvaldo Cruz.
  • Moacyr Nobre Instituto do Coaração. Faculdade de Medicina. Universidade de São Paulo.
  • Silvia Cárdenas-Prado Instituto de Psiquiatria. Faculdade de Medicina. Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2013.82519

Palavras-chave:

América Latina, Política social.

Resumo

Durante as últimas duas décadas, a sociedade testemunhou dois fenômenos sociais
que a afetaram substancialmente: a epidemia de HIV/AIDS com suas características pouco
usuais e alta letalidade; e a intrusão de leis de propriedade intelectual na vida cotidiana,
como o Acordo TRIPS com amplas repercussões sobre a saúde pública. O objetivo deste
trabalho foi analisar retrospectivamente como foi a política de saúde de combate à epidemia
do HIV/AIDS de Brasil e México. Comparativamente, o impacto da epidemia do HIV
sobre a população foi maior no Brasil que no México, gerando no primeiro uma maior
preocupação da sociedade civil, levando a classe política a tomar medidas inovadoras e

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-01

Como Citar

Acosta-Navarro, J. C., Cacciamali, M. C., Gremaud, A. P., Carvalheiro, J., Nobre, M., & Cárdenas-Prado, S. (2013). POLÍTICA DE SAÚDE PARA A EPIDEMIA DA AIDS DO BRASIL E MÉXICO NO CONTEXTO DO ACORDO TRIPS. Brazilian Journal of Latin American Studies, 12(22), 92-103. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2013.82519

Edição

Seção

Artigos