Sobre Hannah Arendt: ética e racionalidade na sociedade contemporânea

Autores

  • Eda Terezinha de Oliveira Tassara Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Departamento de Psicologia Social e do Trabalho
  • Neuza Abbud Universidade Nove de Julho

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-656420130045

Resumo

Este ensaio visa refletir sobre como superar obstáculos que se antepõem à capacidade de pensar de forma racional, a capacidade intelectual que envolve a abstração reflexiva e sua elaboração em correspondente argumentação. Parte da constatação de que, se se observa, de um lado, um crescimento na complexidade lógica do pensamento coloquial verbalizado, de outro, percebe-se uma ausência de competência nas operações intelectuais de análise dos processos racionais a ele subjacentes. Ou seja, a racionalidade contemporânea, alimentada pelos processos e produtos de conhecimento gerados através do pensamento abstrato e dedutivo do campo técnico-científico, comunicar-se-ia com a sociedade de maneira naturalizada, sob forma de representação social e, portanto, eivada de aportes ideológicos, de irracionalidades e/ou racionalizações acríticas. Visa-se refletir, então, sobre como subsidiar a superação de obstáculos à universalização do pleno exercício da razão e/ou da hermenêutica da racionalidade, instrumentalizando contrapontos aos impedimentos gerados pela ignorância ou pelas negatividades ou pelos núcleos dogmáticos do pensamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-08-01

Como Citar

Tassara, E. T. de O., & Abbud, N. (2016). Sobre Hannah Arendt: ética e racionalidade na sociedade contemporânea . Psicologia USP, 27(2), 273-281. https://doi.org/10.1590/0103-656420130045

Edição

Seção

Artigos Originais