Olhar o cotidiano: percursos para uma psicologia social do trabalho

Autores

  • Maria Chalfin Coutinho Universidade Federal de Santa Catarina; Centro de Filosofia e Ciências Humanas; Departamento de Psicologia
  • Fábio de Oliveira Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Departamento de Psicologia Social e do Trabalho
  • Leny Sato Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Departamento de Psicologia Social e do Trabalho

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-656420140053

Resumo

O artigo esboça os percursos de pesquisas que têm levado a psicologia social do trabalho ao estudo do cotidiano laboral. Apresenta o cotidiano como campo de apreensão do real, partindo de uma discussão interdisciplinar sobre o tema, salientando seus aspectos de repetição e de ruptura e as relações entre dimensões micro e macrossociais. Localiza os esforços de constituir o cotidiano como objeto da psicologia social e aponta para as dificuldades de teorização desse objeto. Finalmente, discute as razões do reconhecimento do cotidiano como campo privilegiado de investigação para o projeto de uma psicologia social do trabalho, na medida em que favorece o reconhecimento das singularidades dos sentidos e dos significados construídos pelos trabalhadores, das formas de interação social, dos processos organizativos, da micropolítica, das práticas astuciosas construídas no interior de relações assimétricas de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-08-01

Como Citar

Coutinho, M. C., Oliveira, F. de, & Sato, L. (2016). Olhar o cotidiano: percursos para uma psicologia social do trabalho . Psicologia USP, 27(2), 289-295. https://doi.org/10.1590/0103-656420140053

Edição

Seção

Artigos Originais