A Teoria de Valores Refinada: associações com comportamento e evidências de validade discriminante e preditiva

Autores

  • Cláudio V. Torres Universidade de Brasília; Instituto de Psicologia
  • Shalom H. Schwartz The Hebrew University of Jerusalem; Department of Psychology
  • Thiago G. Nascimento Instituto Superior de Ciências Policiais

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-656420150045

Resumo

A teoria refinada dos 19 valores humanos básicos foi apresentada em 2012. Sua utilidade e validade discriminantes foram demonstradas em associações com atitudes e crenças, mas não comportamentos, apresentando um instrumento para medir os 19 valores em diferentes países, mas não no Brasil. Dois estudos, com três amostras brasileiras independentes, apresentam tal instrumento e investigam a validade discriminante e preditiva da teoria pelo exame das associações de cada valor com comportamentos cotidianos. Um MDS confirmatório ordenou os valores no contínuo motivacional previsto pela teoria. Análises fatoriais confirmatórias dão suporte para a validade discriminante e preditiva da teoria. Os resultados sugerem que as compatibilidades e conflitos que estruturam a relação entre os valores também organizam os comportamentos que os expressam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-08-01

Como Citar

Torres, C. V., Schwartz, S. H., & Nascimento, T. G. (2016). A Teoria de Valores Refinada: associações com comportamento e evidências de validade discriminante e preditiva . Psicologia USP, 27(2), 341-356. https://doi.org/10.1590/0103-656420150045

Edição

Seção

Artigos Originais