Genealogia da intersubjetividade e figurabilidade do afeto: Winnicott e Merleau-Ponty

Autores

  • Thamy Ayouch Université Lille III

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-65642012005000010

Palavras-chave:

Intersubjetividade, Afeto, Psicanálise, Fenomenologia, Merleau-Ponty (Maurice), Winnicott (Donald Woods)

Resumo

Aborda a questão filosófica da intersubjetividade, além da questão tradicional da alteridade. A primazia desta questão não concerne somente à filosofia, mas aparece central nas perspectivas da psicanálise e da psicopatologia, pois trata-se aqui da constituição do relacionamento com o outro, uma experiência fundada na memória do infantil, e jamais adquirida de forma definitiva. A fenomenologia merleau-pontyana explicita essa experiência cotidiana do outro. A psicanálise winnicottiana permite reconstituir uma genealogia da intersubjetividade, uma descrição de vivências arcaicas atestáveis graças à transferência, conduzindo a consequências éticas, tanto na teorização, como na clínica, e no atendimento de formas contemporâneas da psicopatologia. Ressalta como a centralidade do corpo e do outro na fenomenologia de Merleau-Ponty tem ecos na psicanálise winnicottiana e como ambas revelam um ato psíquico específico, próprio à intersubjetividade e à figuração do afeto, entre percepção e alucinação, interior e exterior, sujeito e outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

Ayouch, T. (2012). Genealogia da intersubjetividade e figurabilidade do afeto: Winnicott e Merleau-Ponty. Psicologia USP, 23(2), 253-274. https://doi.org/10.1590/S0103-65642012005000010

Edição

Seção

Artigos Originais