A dor no cotidiano de cuidadores e crianças com anemia falciforme

Autores

  • Tatiane Lebre Dias Universidade Federal de Mato Grosso
  • Christyne Gomes Toledo de Oliveira Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo
  • Sônia Regina Fiorim Enumo Universidade Federal do Espírito Santo
  • Kely Maria Pereira de Paula Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-65642013000300003

Resumo

As crises de dor crônica ou aguda, de diferente intensidade e recorrência imprevisível, são um dos sintomas mais frequentes na Anemia Falciforme (AF) e tendem a afetar a qualidade de vida dos portadores da doença. Este estudo procurou descrever e comparar a percepção do episódio doloroso da AF entre crianças e seus cuidadores. Participaram 27 pares de cuidador-criança, sendo 11 pares formados por crianças atendidas no Ambulatório de Pediatria do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes de Vitória/ES e 16 pares compostos por crianças que frequentavam o Hemocentro de Cuiabá/MT. Os resultados revelaram diferença na percepção de cuidador e criança sobre a caracterização da dor no que se refere ao tipo e à intensidade. As crises de dor interferem, sobretudo, nas atividades do cotidiano. A estratégia de enfrentamento mais utilizada por ambos os grupos centrou-se em pensamentos que envolveram os aspectos negativos da experiência indesejada, o que indica a necessidade de intervenção psicológica com esta população

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-01

Como Citar

Dias, T. L., Oliveira, C. G. T. de, Enumo, S. R. F., & Paula, K. M. P. de. (2013). A dor no cotidiano de cuidadores e crianças com anemia falciforme . Psicologia USP, 24(3), 391-411. https://doi.org/10.1590/S0103-65642013000300003

Edição

Seção

Artigos Originais