A pulsão de morte: notas para uma inversão semântica do paradigma imunitário a partir da psicanálise

Autores

  • José Cabrera Sánchez Universidad Austral de Chile; Escuela de Psicología

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-65642013000300007

Resumo

Dada sua privilegiada participação no dispositivo da sexualidade, a psicanálise seria parte de uma ampla rede de tecnologias disciplinárias e normalizadoras comprometidas com a expansão despolitizante da biopolítica. Propomos uma interpretação do polêmico conceito freudiano de pulsão de morte a partir da perspectiva do paradigma imunitário desenvolvido por Roberto Esposito. A pulsão de morte participaria do caráter aporístico do imunitário, já que permite uma abertura à produtividade do negativo e à inclusão da alteridade no tecido de si mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-12-01

Como Citar

Cabrera Sánchez, J. (2013). A pulsão de morte: notas para uma inversão semântica do paradigma imunitário a partir da psicanálise . Psicologia USP, 24(3), 469-488. https://doi.org/10.1590/S0103-65642013000300007

Edição

Seção

Artigos Originais