"Classe média" para a indústria cultural

Autores

  • Heloisa Buarque de Almeida Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Departamento de Antropologia; Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-6564D20140009

Resumo

Este artigo retoma pesquisas anteriores para refletir sobre a noção de "classe média" no meio publicitário e de marketing, noção muito usada para definir a audiência da televisão, mídia de grande repercussão nacional. O período dos anos 1970 a 2000, pesquisado anteriormente, auxilia a compreensão de como se formou o mercado consumidor nacional e o que tem sido propagado pela imprensa escrita como uma mudança social (uma ampliação e formação de uma nova classe média), mas sugiro que a "nova classe C" representa apenas a ampliação do consumo de bens industrializados. Para tanto, recorro a pesquisas anteriores feitas sobre o mercado anunciante de TV, o meio publicitário e de marketing, e a lógica da pesquisa de audiência de TV, como feita pelo Ibope.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-01

Como Citar

Almeida, H. B. de. (2015). "Classe média" para a indústria cultural . Psicologia USP, 26(1), 27-36. https://doi.org/10.1590/0103-6564D20140009

Edição

Seção

Dossiê