O rap radical e a "nova classe média"

Autores

  • Ricardo Indig Teperman Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Departamento de Antropologia Social; Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-6564D20140010

Resumo

Este artigo discute a recente alteração na posição relativa do rap e dos rappers no campo da produção cultural no Brasil. O grupo Racionais MCs, tão central no campo do rap nacional que acaba por determinar a tendência hegemônica do gênero, vem se afastando do posicionamento revolucionário que marcou seus primeiros anos. Proponho que o aumento do poder de consumo e a democratização do acesso à tecnologia e à educação são aspectos que marcam a experiência da nova geração do rap (a chamada "nova escola"), personificada em Emicida, e que provocaram o reposicionamento do Racionais. Recupero uma formulação de Antonio Candido para propor que essa nova posição pode ser considerada "radical".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-01

Como Citar

Teperman, R. I. (2015). O rap radical e a "nova classe média" . Psicologia USP, 26(1), 37-42. https://doi.org/10.1590/0103-6564D20140010

Edição

Seção

Dossiê