[1]
M. E. Arreguy, “ Estéticas da diversão nos "mortos-vivos" contemporâneos ”, Psicol. USP, vol. 26, nº 1, p. 100-107, abr. 2015.