O território, visto por outros olhos

Autores

  • Oscar Calavia Sáez Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2015.102108

Palavras-chave:

Yaminawa, território, fractalidade, perspectivismo, topologia, Amazônia.

Resumo

Em relatos míticos e na praxe dos Yaminawa do Acre — desde há muito tempo caraterizados como “problema” pela sua difícil inserção no sistema territorial indígena que os converte em indesejados moradores da cidade —, procuram-se os traços de uma noção de “território” diferente daquela que aparece no discurso do movimento indígena, e a rigor incompatível com a norma de delimitação e apropriação da terra presente na nossa ordem jurídica. Essa noção é definida como perspectiva e fractal, topológica mais que espacial ou ecológica; nela, são as relações as que criam um “território” em lugar de desenvolver-se nele, e os constantes deslocamentos assinalam não um “nomadismo” — com a prevalência de limites sociais atravessando limites espaciais —, mas o uso das distâncias para a rápida recombinação dos arranjos sociais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-08-12

Como Citar

Sáez O. C. (2015). O território, visto por outros olhos. Revista De Antropologia, 58(1), 257-284. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2015.102108

Edição

Seção

Dossiê

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)