Considerações sobre a ética no candomblé

Autores

  • Miriam Rabelo Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2016.121935

Palavras-chave:

Prática ética, candomblé, feitura, relações humanos e orixás

Resumo

A partir da descrição de eventos desenrolados em terreiros de Salvador o texto visa contribuir para uma reflexão acerca do modo próprio do candomblé colocar e resolver questões éticas, formar e oferecer condições para o exercício de uma sensibilidade ética no dia a dia do terreiro. Ao abordar casos relativos à iniciação e formação gradativa de adeptos e ao desenrolar de relações entre pessoas humanas e orixás, pretende-se discutir tanto alguns dos elementos que definem o agir ético no candomblé, quanto caracterizar a montagem ética que sustenta esse agir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAGÃO, Ricardo 2012. Ser rodante é ser-com-outros: a possessão como experiência de alteridade num candomblé de Salvador. Salvador, dissertação, ufbA.

BARRY, Andrew. 2004. “Ethical Capitalism”. In LArner, W. e WALters, W. (orgs.), Global Governmentality. Londres, Routledge.

BASTIDE, Roger. 1973. “Le Príncipe de individuation (contribuition à une philosophie africaine)”. In La Notion de personne em afrique Noire. Colloques Internationaux du Centre National de la Recherche Scientifique, 544. Paris, Éditions du cnrs.

BASTIDE, Roger. [1958] 2001. O Candomblé da Bahia. São Paulo, Companhia da Letras.

DEWEY, John. [1908] 1980. “Teoria da Vida Moral”. In Dewey. Coleção Os Pensadores. São Paulo, Abril Cultural.

FRASER, Mariam. 2006. “The Ethics of Reality and Virtual Reality: Latour, Facts and Values”. History of the Human Sciences, v. 19, n. 2: 45-72.

GOLDMAN, Márcio. 1987. “A construção ritual da pessoa: a possessão no Candomblé”. In mourA, C. E. M. (org.), Candomblé: desvendando identidades. São Paulo, emW. 2005 “Formas do saber e modos do ser: multiplicidade e ontologia no candomblé”. Religião e Sociedade. Rio de Janeiro, v. 25, n. 2: 102-120.

LAIDLAW, James. 2010. “Agency and Responsibility: Perhaps You Can Have too much of a Good Thing”. In LAmbek, M. (org.), Ordinary Ethics: anthropology, Language and action. Nova York, Fordham University Press. 2014 The Subject of Virtue: an anthropology of Ethics and Freedom. Cambridge, Cambridge University Press.

LAMBEK, Michael. 2010a. “Introduction”. In . (org.), Ordinary Ethics: anthropology, Language and action. Nova York, Fordham University Press.

LAMBEK, Michael. 2010b. “Toward an ethics of the act”. In . (org.), Ordinary Ethics: anthropology, Language and action. Nova York, Fordham University Press.

LATOUR, Bruno. 2012. Enquête sur les modes d’existence. Paris, Éditions La Découverte.

PAPPAS, Gregory. 2008. John Dewey’s Ethics: Democracy as Experience. Bloomington, Indiana University Press.

PRANDI, Reginaldo. 1991. Os candomblés de São Paulo: a velha magia na metrópole nova. São Paulo, Hucitec.

RABELO, Miriam. 2014. Enredos, feituras e modos de cuidado: dimensões da vida e da convivência no candomblé. Salvador, Edufba.

SOURIAU, Étienne. 1943. Les Différents modes d’existence. Paris, Puf.

STENGERS, Isabelle. 2005a. “Introductory Notes on an Ecology of Practices”. Cultural Studies Review, v.11, n.1: 183-196.

STENGERS, Isabelle. 2005b. “The Cosmopolitical Proposal”. In LAtour, B. e WeibeL, P. (orgs.), Making Things Public: atmospheres of Democracy. Cambridge, mA, mit Press.

Downloads

Publicado

2016-10-14

Como Citar

Rabelo, M. (2016). Considerações sobre a ética no candomblé. Revista De Antropologia, 59(2), 109-130. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2016.121935

Edição

Seção

Artigos