Dos pactos com o Diabo, a Sereia e os Apus

sobre a participação de não-humanos na constituição do corpo dos danzantes de tijeras (Ayacucho, Peru)

  • Indira Viana Caballero Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRR
Palavras-chave: dança, corpo, Andes, Peru.

Resumo

 

A danza de tijeras é parte das celebrações da Festa da Água em Andamarca (Departamento de Ayacucho, Peru) no mês de agosto. Durante a festa os danzantes fazem apresentações e competições em praça pública desafiando sua resistência física: perfuram o corpo com pregos e espinhos, cortam-se com cacos de vidros, caminham sobre brasas. Para que tenham êxito ao realizarem tais desafios, os danzantes fazem negociações contínuas através de pactos e pagapas com seres não-humanos, principalmente com o Diabo, a Sereia e os Apus, aqueles que lhes outorgam proteção e poder. Se tais negociações forem ignoradas, tais seres podem lhes hacer daño, propiciando infortúnios e males diversos. Longas caminhadas para alcançar lugares virgens, nunca antes pisados por um humano, são outra forma de tornar-se um bom danzante, de acumular mais força e poder para tornar-se um maestro.Este trabalho destaca aspectos da relação desses dançarinos com seres não-humanos (Apus, Pachamama,Diabo, Sereiaentre outros) e de como seu corpo precisa ser constituído por eles para que seja um corpo completo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Indira Viana Caballero, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRR

Mestre e Doutora em Antropologia Social pelo PPGAS/Museu Nacional-UFRJ. Atualmente é Professora Visitante do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRR.

 

Publicado
2019-09-18
Como Citar
Caballero, I. (2019). Dos pactos com o Diabo, a Sereia e os Apus. Revista De Antropologia, 62(2), 382 - 402. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.139699
Seção
Artigos