Psicologia e ideologia de gênero. Tensões e conflitos em torno da Resolução 01/99

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.165235

Palavras-chave:

Psicologia, ideologia de gênero, cura gay, código de ética

Resumo

Este ensaio promove uma análise sobre “ideologia de gênero” e sua articulação com o debate sobre as atuações psi frente às demandas sociais atuais em relação à diversidade sexual e de gênero. Tomando alguns debates públicos realizados no legislativo e judiciário a respeito da Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), busca-se refletir sobre uma rede heterogênea de correlação de forças que passa a apresentar argumentos seculares e democráticos no debate sobre a readequação de gênero e sexualidade. Parte-se da perspectiva foucaultiana de estratégias e táticas discursivas que compõem as tecnologias de poder, pensando as transformações no dispositivo da sexualidade, na medida em que o embate passa a acontecer utilizando-se a linguagem jurídico-legal, articulando leis, conhecimentos científicos e cosmologias religiosas na produção de novas formas de atuação política em torno do que se chama “cura gay”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Felten da Maia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Gabriela Felten da Maia é graduada em Psicologia, mestra em Ciências Sociais e atualmente realiza doutoramento em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bolsista CAPES. Vem realizando pesquisas sobre gênero e sexualidade articuladas com a discussão sobre biopolítica.

Maria Luiza Adoryan Machado, Universidade de Santa Cruz do Sul

Maria Luiza Adoryan Machado é graduanda em Psicologia na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e bolsista PUIC no projeto de pesquisa “O Programa Minha Casa Minha Vida em Santa Cruz do Sul/RS e o acesso ao mercado de trabalho”. É idealizadora do projeto social Coletivo RUAS (Resistências Urbanas = Aprendizados Subversivos), produzindo sobre os modos de ser e estar em situação de rua.      

Referências

BELMONTE, Pilar Rodriguez. 2009. História da homossexualidade: ciência e contra-ciência no Rio de Janeiro (1970-2000). Rio de Janeiro, Tese de doutorado, Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz.

CAMPOS, Roberta Bivar Carneiro; GUSMAO, Eduardo Henrique Araújo de; MAURICIO JUNIOR, Cleonardo Gil de Barros. 2015. “A disputa pela laicidade: Uma análise das interações discursivas entre Jean Wyllys e Silas Malafaia”. Religião e Sociedade, v. 35, n. 2: 165-188.

CARRARA, Sérgio. 2015. “Moralidades, racionalidades e políticas sexuais no Brasil contemporâneo”. Mana, v. 2, n. 21:323-345.

CARVALHO, Marcos Castro; SÍVORI, Horácio Federico. 2017. “Ensino religioso, gênero e sexualidade na política educacional brasileira”. Cadernos Pagu [online], n. 50, s/p. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-83332017000200310&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 07 abr 2019.

FALUDI, Susan. 1991. Backlash: The Undeclared War Against American Women. New York, Three Rivers Press.

FOUCAULT, Michel. 2007. História da Sexualidade: A vontade de saber. Rio de Janeiro, Edições Graal.

GONÇALVES, Alexandre Oviedo. 2017. “Cura gay? Uma análise de narrativas públicas de indivíduos que se auto apresentam como ex-homossexuais”. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress, Florianópolis, SC. Disponível em: <http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1498847500_ARQUIVO_CuraGayUmaanalisedenarrativaspublicasdeindividuosqueseautoapresentamcomoex-homossexuais.pdf>. Acesso em: 07 abr 2019.

LIONÇO, Tatiana. 2017. “Psicologia, Democracia e Laicidade em Tempos de Fundamentalismo Religioso no Brasil”. Revista Psicologia, ciência e profissão, v. 37: 208-223.

MAIA, Gabriela Felten da; MACHADO, Felipe Vieiro Kolinski2016 “Sobre aqueles que psicotizam a nação: gênero e sexualidade na coluna da psicóloga cristã Marisa Lobo”. In: SEFFNER, F.; CAETANO, M. (Org.). Discurso, discursos e contra-discursos latino-americanos sobre a diversidade sexual e de gênero. Rio Grande, Editora Realize, pp. 1153-1169.

MISKOLCI, Richard; CAMPANA, Maximiliano.2017. “‘Ideologia de gênero’: notas para a genealogia de um pânico moral contemporâneo”. Brasília, Revista Sociedade e Estado, v. 32, n. 3:725-747.

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro de. 2009. “Sexualidades ameaçadoras: religião e homofobia(s) em discursos evangélicos conservadores”. Revista Latino Americana Sexualidad, Salud y Sociedad [online], n. 2: 121-161. Disponível em: <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/SexualidadSaludySociedad/article/view/32/446>. Acesso em: 07 abr 2019.

RABINOW, Paul; ROSE, Nikolas.2006. “O Conceito de Biopoder Hoje”. Política e Trabalho, Revista de Ciências Sociais [online], n. 24: 27-57.

RIOS, Roger Raupp; RESADORI, Alice Hertzog; SILVA, Rodrigo da; VIDOR, Daniel Martins. 2017. “Laicidade e Conselho Federal de Psicologia: Dinâmica institucional e profissional em perspectiva jurídica”. Revista Psicologia Ciência e Profissão [online], v. 37, n. 1, s/p. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932017000100159&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em: 08=7 abr 2019.

RONDÓN, Manuel Alejandro Rodríguez. 2017. “La ideología de género como exceso: Pánico moral y decisión ética en la política colombiana”. Revista Latino Americana Sexualidad, Salud y Sociedad, n. 27: 128-148.

RUBIN, Gayle.2003. “Pensando sobre sexo: Notas para uma teoria radical da política da sexualidade”. Cadernos Pagu, n. 21:1-46.

TEIXEIRA, Natália Beatriz Viana.2014. “Cura gay é o meu caralho!”: A normalização da homossexualidade e a Resolução CFP 1/99. Goiânia, Dissertação, Universidade Federal de Goiás.

VAGGIONE, Juan Marco. 2017. “The Catholic Church Faces Sexual Politics: The Configuration of a Religious Citizenship”. Cadernos Pagu, n. 50, s/p.

VIGOYA, Mara Viveros; RONDÓN, Manuel Alejandro Rodríguez.2017. “Presentación Dossier Hacer y deshacer la ideología de género”. Revista Latino-Americana Sexualidad, Salud y Sociedad, n. 27: 118-127.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

Maia, G. F. da, & Machado, M. L. A. (2019). Psicologia e ideologia de gênero. Tensões e conflitos em torno da Resolução 01/99. Revista De Antropologia, 62(3), 558 - 583. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2019.165235

Edição

Seção

Artigos