Mobilidades e territórios impensáveis. Contranarrativas e afetos de cabo-verdianos nas roças de São Tomé e Príncipe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1678-9857.ra.2021.184478

Palavras-chave:

Mobilidades, contranarrativas, artes culinárias, Cabo Verde, São Tomé e Princípe

Resumo

Cabo Verde aparece na memória social e nas práticas de pessoas cabo-verdianas enquanto um território atravessado e costurado pelas mobilidades a outros territórios, desde Europa, Américas e África. Dos vários territórios possiveis, São Tomé e Principe foi e continua sendo narrado como um território impensável. As multiplas narrativas elaboradas sobre os cabo-verdianos em São Tomé e Principe, quer os que experimentaram o acontecimento do trabalho contratado, quer os descendentes dessa experiência atroz, foi inscrita numa chave de regime depreciativo, criando nesse processo de produção de verdades, tentativas de silenciamento de vidas e narrativas que não importam. Em recusa, esse coletivo mostra como, no seu quotidiano, cria múltiplas contranarrativas reversas às narrativas hegemónicas, sinalizando não somente que não cabe nessa história narrada e, que ainda se narra, como também vidas foram construídas. E, as artes culinárias constituem, também, um desses lugares onde tais contranarrativas são elaboradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Indira Semedo , Universidade Jean Piaget de Cabo Verde

Carla Indira Semedo é doutora em antropologia social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/Museu Nacional, mestre em antropologia social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e graduada em sociologia pela Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, onde atua como professora auxiliar. Áreas de interesse: práticas de cura, musicalidades, diáspora cabo-verdiana em São Tomé e Príncipe, e memórias coloniais.

Referências

ANDRADE, Elisa Silva. As ilhas de Cabo Verde da «Descoberta» à Independência Nacional (1460-1975). s/d. París, Editions L’Harmattan.

CARREIRA, António. 1977. Classes sociais, estruturas familiares e migração em Cabo Verde. Lisboa, Ulmeiro.

CARREIRA, António. 1983. Migrações nas Ilhas de Cabo Verde. 2ª edição. Lisboa, CEE/ICL.

CARREIRA, António. 1984. Cabo Verde: aspectos sociais, secas e fomes do século XX. Lisboa, Ulmeiro.

DOS ANJOS, José Carlos Gomes. 2006. Intelectuais, literatura e poder em Cabo Verde: lutas de definição da identidade nacional. Porto Alegre, UFRGS editora.

ÉVORA, Iolanda e GRASSI, Marzia (org). 2007. Gênero e Migrações cabo-verdianas. Lisboa, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS).

FERNANDES, Gabriel. 2002. A diluição da África: uma interpretação da saga identitária cabo-verdiana no panorama político (pós) colonial. Florianópolis, Edufsc.

FOUCAULT, Michael. 2013. Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro, Forense Universitária.

FURTADO, Claúdio. 1987. Génese e Reprodução da classe dirigente em Cabo Verde. Praia, ILCD.

GÓIS, Pedro e MARQUES, José Carlos. 2008. “Práticas transnacionais dos imigrantes cabo-verdianos em Portugal”. In GÓIS, Pedro (org.). Comunidade(s) cabo-verdiana(s): as múltiplas faces da imigração cabo-verdiana. Lisboa, ACIDI, pp. 87-104.

SILVEIRA, Onésimo. 1968. Consciencialização na literatura cabo-verdiana. Lisboa, Edição Casa dos Estudantes do Império.

TROUILLOT, Michel-Rolph. 1995. Silencing the Past: power and the production of history. Boston: Beacon Press.

VIEIRA, Henrique de Santa Rita. 1951. “Mão de obra cabo-verdiana para S.Tomé”. In: Cabo Verde. Boletim de Propaganda e Informação, Praia, Ano II, n.º 23: 29-32.

MATERIAIS CONSULTADOS

ADICHIE, Chimamanda. 2009. The danger of a single story. TedGlobal, 2009. Disponível em: <http://www.ted.com/talks/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story>. Acesso em outubro de 2012.

CARDOSO, Domingos. 2010. “Pelas roças de São Tomé e Pincípe: do nunca visto ao nem visto”, Jornal A Nação, CXXXVI, pp. 23-27.

Código do Trabalho Rural do Ultramar Cabo Verde (27/04/1962).

Decreto-Lei de 1903. Boletim Official, São Thomé, IX.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Como Citar

Semedo , C. I. (2021). Mobilidades e territórios impensáveis. Contranarrativas e afetos de cabo-verdianos nas roças de São Tomé e Príncipe. Revista De Antropologia, 64(1), e184478. https://doi.org/10.11606/1678-9857.ra.2021.184478

Edição

Seção

Artigos