O sentir dos sentidos dos pescadores artesanais

Autores

  • Cristiano Wellington Norberto Ramalho Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2011.38598

Resumo

Tomando como base as próprias representações, os sentimentos e as práticas societárias dos pescadores artesanais da praia de Suape, em Pernambuco, este artigo analisa os processos sociais que fundam e são iluminados pelo sentir dos sentidos desses trabalhadores do mar, especialmente no que diz respeito à articulação da condição sensível (estética pesqueira) com o saber-fazer, a liberdade e a humanização na pesca artesanal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Wellington Norberto Ramalho, Universidade Federal de Sergipe

Graduação em Ciências Sociais pela UFRPE (1999), Mestre em Sociologia pela UFPE (2002) e Doutor em Ciências Sociais pela UNICAMP (2007). Atualmente é professor adjunto de Sociologia do Departamento de Ciências Sociais (DCS) e dos Mestrados em Antropologia (NPPA) e em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). É um dos coordenadores do Grupo de Estudos Mares, Ambientes e Ruralidades (GEMARES) e integra o Comitê do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (COMPIBIC) da UFS. Ademais, é vice-chefe do Departamento de Ciências Sociais (DCS) da UFS e compõe o corpo editorial da Revista Ruris ligada ao Centro de Estudos Rurais (CERES) UNICAMP. Temas de interesse de pesquisa são: Socioantropologia da Pesca e Marítima; Sociologia do Trabalho; Sociologia Rural.

Downloads

Publicado

2012-08-16

Como Citar

Ramalho, C. W. N. (2012). O sentir dos sentidos dos pescadores artesanais. Revista De Antropologia, 54(1). https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2011.38598

Edição

Seção

Artigos