Luz baixa sob neblina: por uma antropologia das oscilações em Claude Lévi-Strauss

Autores

  • Gabriel Banaggia Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2011.38599

Palavras-chave:

Mito, transformação, pós-estruturalismo, etnologia.

Resumo

Este ensaio procura reunir as diversas considerações feitas por Claude Lévi-Strauss a respeito do mito em História de lince, livro que pode ser visto simultaneamente como uma recapitulação e um arremate revisado aos seis volumes sobre mitologias que lhe precederam na obra do autor. Além disto, nossa empreitada conduz também a cristalizações de perspectivas, vislumbradas difusamente na obra deste autor, procurando extrair de colocações mais explícitas sobre o estruturalismo consequências à primeira vista fugidias. Trata-se de nos imiscuir nas alternativas aparentes postas em ação pelo pensamento de Lévi-Strauss, reconhecendo uma tensão produtiva entre deslizamentos e sedimentações possíveis. Se é clara em História de lince a diligência em tratar menos do espírito humano que dos corpos ameríndios, esta opção não elimina uma certa ‘nostalgia’ (ainda que encoberta, umbrosa) para a qual seria desejável o estabelecimento de uma síntese de ordem superior. Da oscilação entre ambos os ímpetos, surgem os fundamentos de uma antropologia pós-estruturalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Banaggia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre e Doutorando em Antropologia Social no Museu Nacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

2012-08-16

Como Citar

Banaggia, G. (2012). Luz baixa sob neblina: por uma antropologia das oscilações em Claude Lévi-Strauss. Revista De Antropologia, 54(1). https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2011.38599

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)