“Pontos de Contato” revisitados

Autores

  • Richard Schechner Universidade de Nova Iorque

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2013.82460

Palavras-chave:

Encorporação, Experiência, Cérebro, Antropologia, Teatro.

Resumo

Em 1985, publiquei “Pontos de contato entre o pensamento antropológico e teatral” como primeiro capítulo de meu livro Between Theater and Anthropology (Entre o Teatro e a Antropologia), de título bastante claro. As coisas mudaram muito desde então. Veio a “virada performativa” na antropologia, e, com ela, uma nova galáxia de contatos entre o pensamento antropológico e o teatral. No ensaio a seguir, discuto três (novos) pontos de contato. Eles não existem isoladamente. Estão entrelaçados, refletem-se uns nos outros e interagem entre si. No entanto, podem até certo ponto ser analisados em termos de 1. Encorporação1 – a experiência como base do conhecimento nativo que é compartilhado por meio da performance; 2. As fontes da cultura humana como performativas; e 3. O cérebro como um local de performance. O que fundamenta estes três pontos de contato, como mostra Diana Taylor, é o fato de que a performance constitui um repertório de conhecimento encorporado, uma aprendizagem no e através do corpo, bem como um meio de criar, preservar e transmitir conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-12

Como Citar

Schechner, R. (2013). “Pontos de Contato” revisitados. Revista De Antropologia, 56(2), 23-66. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2013.82460

Edição

Seção

Dossiê: Antropologia e Performance