Ganhando uma eleição com performance: transpondo limiares em Gana

Autores

  • Beverly J. Stoeltje Universidade de Indiana

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2013.82464

Palavras-chave:

Gana, Política, Performance, Maldição, Costume, Modernidade.

Resumo

Os políticos em Gana regozijam-se chamando uns aos outros de “canalhas perversos” (wicked rascals) e frequentemente se envolvem em ataques e contra-ataques, a chamada “política do pingue-pongue”. Valendo-se do poder da performance, em 2008, um político com boa educação formal recorreu a uma estratégia inovadora na campanha eleitoral: conjurou uma maldição, insinuando que o partido rival havia feito acusações falsas contra o seu partido. Fazendo uso da mídia moderna, ele persuadiu os eleitores e seu partido saiu vitorioso. Este artigo explora o elevado valor atribuído à performance na cultura asante e o papel da maldição na sociedade. Argumenta-se que a performance serve como força dinâmica para a interação social e política, possibilitando transpor limiares na prática e revelar contradições por meio da performance de rituais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Stoeltje, B. J. (2014). Ganhando uma eleição com performance: transpondo limiares em Gana. Revista De Antropologia, 56(2), 153-181. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2013.82464

Edição

Seção

Dossiê: Antropologia e Performance