A centralidade do sexo nas estratégias recentes de promoção da saúde do homem no Brasil

Autores

  • Fabíola Rohden Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2014.89112

Palavras-chave:

Saúde masculina, relações de gênero, sexualidade, Antropologia da Ciência

Resumo

O artigo aborda a trajetória do Movimento pela Saúde Masculina, campanha voltada para a orientação da população masculina realizada no ano de 2010. O movimento, promovido pela Sociedade Brasileira de Urologia, centrava sua ação em torno da disfunção erétil, doenças da próstata e andropausa. A análise privilegia os registros do site da campanha que contavam com depoimentos dos profissionais de saúde e dos participantes e seus familiares. Tem como ponto de partida o referencial teórico associado aos estudos sociais da ciência, em especial a noção de “rede” e as distinções relativas a gênero e sexualidade. Problematiza a associação direta entre sexo e saúde do homem, a partir de um foco privilegiado na disfunção erétil. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-19

Como Citar

Rohden, F. (2014). A centralidade do sexo nas estratégias recentes de promoção da saúde do homem no Brasil. Revista De Antropologia, 57(2), 173-214. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2014.89112

Edição

Seção

Artigos