[1]
B. Bagnol, “Barbaridades e violências”, Rev. antropol., vol. 60, nº 3, p. 134-162, dez. 2017.