[1]
E. P. de Godoi, “Mobilidades, encantamentos e pertença: o mundo ainda está rogando, porque ainda não acabou”, Rev. antropol., vol. 57, nº 2, p. 143-170, dez. 2014.