Vendas fiadas e outras práticas creditícias na economia colonial

Minas Gerais, século XVIII

Autores

  • Raphael Freitas Santos Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.11606/ran.v0i4.88862

Palavras-chave:

Crédito, Práticas Creditícias, Economia Colonial

Resumo

A partir da análise de inventários post-mortem, testamentos, escrituras notariais e outros documentos de natureza cartorária, procuramos detectar as principais operações de créditos realizadas pela população mineira setecentista, em suas atividades cotidianas, como as vendas fiadas, os empréstimos de dinheiro, a cessão de dívidas, o empenho de jóias e objetos em ouro e prata, e o arresto de escravizados. Em seguida buscamos compreender o funcionamento dessas operações, que designamos por ora de “práticas creditícias”. Com isso esperamos contribuir para um melhor conhecimento das estratégias econômicas utilizadas pelos indivíduos em situações corriqueiras do dia-a-dia e para um melhor entendimento do funcionamento da circulação de produtos e serviços no interior da América portuguesa, especialmente na capitania de Minas Gerais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Freitas Santos, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é servidor da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, lotado na Divisão de Arquivos Permantes do Arquivo Público da Cidade (APCBH). Tem experiência no Ensino Superior desde 2005 na área de História e Educação, com ênfase em História do Brasil, História de Minas, História da África e das Relações étnico-raciais; lecionando disciplinas nos cursos de História, Turismo e Museologia.

Downloads

Publicado

2013-05-27

Como Citar

Santos, R. F. (2013). Vendas fiadas e outras práticas creditícias na economia colonial: Minas Gerais, século XVIII. Revista Angelus Novus, (4), 4 - 21. https://doi.org/10.11606/ran.v0i4.88862