A onipresente arte da aniquilação: ironia e ideal em Rilke

Autores

  • Nina Auras Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Filosofia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9772.i15p180-198

Palavras-chave:

Hegel, Rilke, Poesia, Ironia, Arte, Epistemologia

Resumo

Traçando um paralelo entre uma certa concepção de arte presente na obra de Rainer Maria Rilke e aquela apresentada por Hegel em seus Cursos de estética (1820-29), o artigo pretende analisar o modo como o problema da ironia parece se colocar para Rilke e os desdobramentos dessa forma na produção poética do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nina Auras, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Filosofia

Mestranda no departamento de filosofia da USP.

Referências

ECKERMANN, J.P. Conversações com Goethe nos últimos anos de sua vida: 1823-1832. Tradução de Mário Luiz Frungillo. São Paulo: UNESP, 2006.

HEGEL, G.W.F. Cursos de Estética. V. 1. Tradução de Marco Aurélio Werle e Oliver Tolle. São Paulo: Edusp, 1999.

HEGEL, G.W.F. Enciclopédia das Ciências Filosóficas. V. 3. Tradução de Paulo Meneses e colaboração de José Machado. São Paulo: Loyola, 1995.

HOLTHUSEN, H.E. Rainer Maria Rilke: A study of his later poetry. New Haven: Yale, 1952.

KLIENEBERGER, H.R. “Romanticism and Modernism in Rilke's ‘Die Aufzeichnungen des Malte Laurids Brigge’”. In: The Modern Language Review, V. 74, n. 2 (Abr., 1979), pp. 361-367.

NOVALIS, F.H. Fragmente und Studien/ Die Christenheit oder Europa. Stuttgart: Philipp Reclam Jun Stuttgart, 2006.

RILKE, R.M. Cartas a um jovem poeta. Tradução de Pedro Süssekind. São Paulo: L&PM, 2006.

RILKE, R.M. Das Florenzer Tagebuch. Frankfurt: Suhrkamp, 1982.

RILKE, R.M. Diaries of a Young Poet. Tradução de Edward Snow e Michael Winkler. Nova Iorque: W.W. Norton&Company, 1998.

RILKE, R.M. Die Aufzeichnungen des Malte Laurids Brigge. Munique: Deutscher Taschenbuch, 1962.

RILKE, R.M. Elegias de Duíno. Tradução de Dora Ferreira da Silva. Rio de Janeiro: Biblioteca Azul, 2013.

RILKE, R.M. O Diário de Florença. Tradução de Marion Fleischer. São Paulo: Nova Alexandria, 2002.

RILKE, R.M; SALOMÉ, L.A. Rilke and Andreas-Salomé: A Love Story in Letters. Nova York: W.W. Norton&Company, 2008.

SALOMÉ, L.A. You alone are real to me: remembering Rainer Maria Rilke. Tradução de Angela von Lippe. Nova York: BOA Editions, 2003.

SCHILLER, F. Poesia ingênua e sentimental. Trad. Márcio Suzuki. São Paulo, Iluminuras, 1991.

WERLE, M.A. “O domingo e os dias de semana: ironia e negatividade em Hegel e no romantismo”. In: Cadernos de Estética Aplicada, nº 17, 2016.

WERLE, M.A. Questão do fim da arte em Hegel. São Paulo: Editora Hedra, 2011.

Downloads

Publicado

2021-12-01

Como Citar

Auras, N. (2021). A onipresente arte da aniquilação: ironia e ideal em Rilke. Rapsódia, (15), 180-198. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9772.i15p180-198

Edição

Seção

Artigos