Avaliação da atividade antioxidante em diferentes extratos da polpa e sementes da romã (Punica granatum, L.)

Autores

  • Fernanda Archilla Jardini Universidade de São Paulo; Faculdade de Ciências Farmacêuticas; Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental
  • Jorge Mancini Filho Universidade de São Paulo; Faculdade de Ciências Farmacêuticas; Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1516-93322007000100017

Palavras-chave:

Romã, Antioxidantes naturais, Oxidação, Rancimat®

Resumo

Avaliou-se a atividade antioxidante dos extratos etéreo, alcoólico e aquoso obtidos da polpa e das sementes da romã (Punica granatum, L.), utilizando-se dois sistemas: 1) co-oxidação do beta-caroteno/ácido linoléico e 2) Rancimat®. Inicialmente foram determinados os compostos redutores presentes na polpa (1.214 mg/100 g) e nas sementes (1.732 mg/100 g) e, em seqüência, avaliou-se nos extratos, através de cromatografia em camada delgada (CCD), a presença de compostos fenólicos com atividade antioxidante. Os extratos aquosos tanto da polpa quanto das sementes apresentaram as maiores porcentagens de inibição da oxidação: 87,31% e 93,08%, respectivamente. Através da avaliação cinética pelo teste de co-oxidação com beta-caroteno e ácido linoléico, pôde-se verificar que a alta porcentagem da atividade antioxidante dos extratos aquosos é devida à capacidade de inibir a oxidação nas fases inicial e mais avançada do processo oxidativo, agindo por mecanismos primário e secundário. Todos os extratos (etéreo, alcoólico e aquoso) apresentaram elevada capacidade em prolongar o período de indução da oxidação, medida pelo aparelho Rancimat®, sendo, ainda, significativamente (p<0,05) maiores que os resultados obtidos com o antioxidante sintético butil-hidroxianisol (BHA).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-03-01

Como Citar

Jardini, F. A., & Mancini Filho, J. (2007). Avaliação da atividade antioxidante em diferentes extratos da polpa e sementes da romã (Punica granatum, L.). Revista Brasileira De Ciências Farmacêuticas, 43(1), 137-147. https://doi.org/10.1590/S1516-93322007000100017

Edição

Seção

Trabalhos Originais