O signo tático no futebol

uma análise semiótica da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970

Autores

  • Diego Frank Marques Cavalcante Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte

DOI:

https://doi.org/10.11606/1807-5509201700030671

Palavras-chave:

Símbolo; Mente; Linguagem; Peirce.

Resumo

A dinâmica do futebol profissional é marcada pelo rendimento e competitividade. Neste contexto, a tática é reconhecida como um aspecto decisivo para a eficácia do jogo. O objetivo deste artigo é contribuir para a investigação do comportamento tático no futebol por meio da abordagem semiótica. O propósito da semiótica é investigar os fenômenos através das ações dos signos. A função dos signos é tornar eficientes as relações ineficientes - a este processo inteligente dá-se o nome de semiose. Nesta abordagem, a tática é entendida como um signo coletivo. Este signo influencia formas específicas de orquestrar os movimentos dos jogadores. Um método semiótico que deve identificar e analisar esta ação do signo na tática do futebol é proposto. Para identificar efeitos dos processos de semiose é necessário observar regularidades nas formas de combinar os movimentos durante os jogos. Para a análise é necessário entender o contexto que aciona a semiose, os espaços do campo e os jogadores envolvidos, além da forma de combinar os deslocamentos entre os jogadores. Este método é utilizado para analisar um símbolo tático da seleção do Brasil que participou da copa do mundo da FIFA de 1970. O resultado da análise mostra que a ação de um dado signo tático é responsável por 42% dos gols brasileiros na copa do mundo de 1970.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-08-02

Como Citar

Cavalcante, D. F. M. (2018). O signo tático no futebol: uma análise semiótica da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 31(3), 671-681. https://doi.org/10.11606/1807-5509201700030671

Edição

Seção

Artigos